Poder Judiciário do Acre conquista 3º lugar no Ranking da Transparência CNJ

Presidente do TJAC, desembargadora Waldirene Cordeiro, afirma que ter saído da 17ª colocação e conquistado o 3º lugar, é fruto do trabalho, dedicação e esforço de servidores e servidoras, magistrados e magistradas

O anúncio veio na tarde desta terça-feira, 24, exatamente aos 200 dias de gestão da atual Administração. O Poder judiciário do Acre conquistou o 3º lugar no Ranking da Transparência, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), entre os Tribunais Estaduais. O resultado foi divulgado durante a 2ª Reunião Preparatória para o 15º Encontro Nacional do Poder Judiciário.

O Ranking da Transparência é regido pelos critérios de avaliação e pontuação definidos na Portaria CNJ nº 101/2021. Ele é realizado anualmente com o objetivo de valorizar os tribunais e conselhos que mais se destacam no fornecimento de informação de forma clara e organizada.

Demostrando bons desempenho e coordenação, além de compromisso com a população e gestão responsável, o Poder Judiciário do Acre, saiu da 17ª posição, em 2020, para conquistar o 3º lugar no ranqueamento, em 2021, entre os Tribunais Estaduais. A atual Administração do TJAC é presidida pela desembargadora Waldirene Cordeiro, o vice-presidente, desembargador Roberto Barros e o corregedor-geral da Justiça, desembargador Élcio Mendes.

A conquista também representa que mesmo durante a pandemia do novo coronavírus, o TJAC aumentou de forma quase que exponencial os níveis de transparência na Governança e nos gastos públicos.

A desembargadora-presidente, Waldirene Cordeiro, se disse “muito feliz” com o resultado, que mostra o cuidado nas ações e com os gastos públicos no âmbito do TJAC, além da importância do trabalho em equipe para que a população tenha acesso aos dados do Poder Judiciário.

“A busca pela transparência no trabalho exercido pelo Poder Judiciário do Acre é constante, pois entendemos que a sociedade merece ter informação clara, organizada e acessível. A conquista do terceiro lugar é inédita na Administração deste Tribunal e estamos muito felizes com esse resultado. Entendemos que a caminhada que nos trouxe até aqui é fruto do esforço, dedicação e trabalho de cada servidora e servidor, magistrada e magistrado”, disse a desembargadora presidente do TJAC.

Os trabalhos de alimentação dos dados foram coordenados Núcleo de Estatística e Gestão Estratégica (Nuege), com o gabinete do juiz-auxiliar da Presidência, em um esforço conjunto, de diretorias, gerências e unidades.

Dados nacionais

No ano passado, o Poder Judiciário do Acre ocupava o 61º no ranking entre todos os tribunais do pais e conselhos, sendo federais, estaduais, eleitorais, militares, do trabalho e tribunais superiores. Em 2021, esse resultado foi bastante positivo, indo para o 13º lugar.  

Sobre o ranking

Na avaliação e na pontuação, foram definidos nove temas compostos por 83 perguntas, como por exemplo, se os órgãos publicam objetivos estratégicos, metas e indicadores; levantamentos estatísticos; calendário das sessões colegiadas; sessões dos órgãos colegiados; e até mesmo se os Tribunais mantêm um campo de ‘Serviço de Informações ao Cidadão’ na página inicial; entre vários outros quesitos.

Clique aqui para acessar o resultado final do Ranking da Transparência 2021 com todos os tribunais e conselhos participantes.

Márcio Bleiner e Andréa Zílio | Comunicação TJAC