TJAC participa da abertura da Semana da Mulher no Instituto Federal do Acre

Sensibilizar alunos, técnicos e professores sobre o combate à violência doméstica foi o objetivo da palestra ministrada por psicólogo da Justiça do Acre

Membros da Coordenadoria Estadual das Mulheres em Situação de Violência Doméstica e Familiar do Poder Judiciário do Acre participaram da abertura da Semana da Mulher, nesta segunda-feira, 2, no auditório do Instituto Federal do Acre (IFAC). Os representantes do Tribunal de Justiça do Acre (TJAC) discorreram sobre o combate a essa violência para alunos do ensino médio e profissionalizante, professores e técnicos.

O evento oferece palestras e atividades até sexta-feira, 6, (programação completa aqui) e é realizado pelo IFAC campus Rio Branco, Sindicato Nacional dos Servidores Federais da Educação Básica, Profissional e Tecnológica (SINASEFE), Grêmio Estudantil U.N.I.R. e Diretório Central dos Estudantes (DCE) Atitude.

Representando a desembargadora Eva Evangelista, que é a coordenadora Estadual das Mulheres em Situação de Violência Doméstica e Familiar, a servidora Rosângela Raulino agradeceu o convite e destacou a ações do TJAC no enfrentamento a essa violência. “O Tribunal também faz parte desta luta pela proteção às mulheres. E entre os dias 9 e 13 de março, nós estaremos com a Semana Justiça pela Paz em Casa, promovendo mutirões de audiências ”.

Não naturalizar a violência

O psicólogo Francisco Bellieny, que atua na Casa de Justiça e Cidadania, na Cidade do Povo, ministrou a palestra “Prevenção da Violência Doméstica contra Mulher”. O servidor do Judiciário usou dinâmicas e vídeos para enfatizar a necessidade descontruímos paradigmas e estereótipos sobre a figura da mulher, que incentivam a tolerância a agressões e naturalizam a violência doméstica.

“A questão é despertar a consciência, porque as pessoas, às vezes, vem trazendo paradigmas familiares e parece que é assim que deve proceder, o homem manda e a mulher obedece. Isso fica gravado no inconsciente e a pessoa responde a isso como se fosse natural. Então, nossa proposta é despertar a consciência para que ela saiba que é um ser humano com mesmos direitos e deveres que o outro”.

 

Para a presidente do Grêmio estudantil U.N.I.R., Clara Tavares da Silva a palestra demonstrou a importância de cada um colaborar na construção de uma sociedade livre da violência doméstica, “eu acho que é um tema de extrema importância para ser tratado nas escolas, visto que nós somos o futuro da nação. Então, nós, mulheres e meninas, temos que ter essa temática abordada nas escolas para que possamos crescer e passar essas informações para as futuras gerações”.

Postado em: Galeria, Notícias | Tags:, , ,

Fonte: Atualizado em 02/03/2020