ECA na Comunidade orienta alunos para prevenção do abuso sexual

Programa, que foi retomado nesta sexta-feira, levou informações aos adolescentes da Escola Estadual Maria Angélica Castro. 

O diálogo claro é uma das formas mais eficazes de prevenir e enfrentar o abuso sexual contra crianças e adolescentes. Ensinar desde cedo a diferença entre toques agradáveis e abusivos é fundamental para aumentar as chances de proteger o público infanto-juvenil de possíveis violações. Foi nesse contexto a palestra ministrada pelo programa ECA na Comunidade, desenvolvido pelo Tribunal de Justiça do Acre (TJAC), por meio da Coordenadoria da Infância e da Juventude, nesta sexta-feira, 19, aos alunos do 5º ano da Escola Estadual Maria Angélica Castro. O programa leva informações aos adolescentes para sua proteção.

A palestra foi perpetrada pela pedagoga da 2ª Vara da Infância e Juventude da Comarca de Rio Branco, Alessandra Gonçalves aos alunos do 5º ano dos turnos da manhã e tarde. Ela proferiu a palestra, intitulada “Abuso sexual contra Criança e Adolescente: o que é? Como identificar? Onde denunciar?”. Na oportunidade, ela tirou dúvidas e orientou as crianças a serem capazes de entender que ninguém tem permissão para tocar em suas partes íntimas, olhar para ou falar sobre elas fora de ambientes apropriados.

 

A coordenadora da Infância e da Juventude do TJAC, desembargadora Regina Ferrari, esteve presente na atividade e interagiu com a classe sobre os direitos e deveres de cada um, a importância do aprendizado para o futuro, explicou sobre o abuso sexual infantil e a necessidade de a vítima relatar o crime a uma pessoa de confiança.

Segundo ela, essa 10ª edição do programa Eca na Comunidade marca o início da atividade pós-pandemia. “Durante a pandemia, não tivemos nenhuma edição desse programa. Com o retorno das crianças às aulas presenciais, ficou viável o retorno das palestras. As crianças são o nosso futuro”, disse.

Passos para prevenir o abuso sexual

  1. Conversar com as crianças, considerando a idade, sobre o corpo e os cuidados que devemos ter. É importante aprenderem a nomear as partes e o que é íntimo;
  2. Explicar que ninguém pode tocar em suas partes íntimas e que não podem tocar na parte íntima de outras pessoas.
  3. Conversar com eles sobre a diferença entre um carinho saudável e um carinho não apropriado. Também não devem aceitar presentes em troca de carinhos.
  4. Supervisionar o acesso de crianças e adolescentes à internet;
  5. Não forçar a criança ou adolescente a dar abraços e beijos em pessoas que ela não se sinta confortável, seja de alguém de dentro da família ou fora dela.
  6. Deixá-los sempre com alguém de confiança e estar atento ao que as crianças e adolescentes têm a dizer sobre a pessoa que está cuidando deles;
  7. Converse muito com seus filhos! Dê atenção ao que têm a dizer.
  8. Mostre que você está sempre por perto para o que a criança ou adolescente precisar. Geralmente os abusadores observam o funcionamento familiar e aproveitam de situações de distanciamento dos pais na vida dos filhos para iniciar o processo de abuso sexual.
  9. Denuncie. Disk 100.

A professora Maria Verônica explica que é constante abordar o assunto para as crianças terem conhecimento sobre o abuso sexual e saberem denunciar. Ela considerou importante a visita da equipe do TJAC, pois soma com as instruções já feitas pelos professores da unidade escolar.

 

Ana Paula Batalha da Silva | Comunicação TJAC