TJAC adere mobilização para conscientizar sobre malformação das vértebras da coluna em bebês

O Judiciário acreano irá iluminar a sede da instituição no Dia Mundial de Conscientização da Mielomeningocele (25 de outubro), nas cores vermelha e amarela.

O Tribunal de Justiça do Acre (TJAC) atendeu ao pedido da Associação Brasileira Superando a Mielomeningocele (ADSAM) e irá aderir a mobilização nacional com a iluminação da sede do órgão, no dia 25 de outubro, Dia Mundial de Conscientização sobre a Mielomeningocele, com as cores da campanha, vermelha e amarela. A mielomeningocele é o tipo mais grave de espinha bífida, que é a malformação congênita durante a gestão nas vértebras da coluna do bebê, caracterizada pelo fechamento incompleto do tubo neuronal.

Conforme dados da ADSAM, de cada mil nascimentos um é afetado por essa malformação na coluna. Por conta dessa condição, que não tem causa originária definida medicina, pode ocorrer lesões com a exposição da medula e de até alguns nervos. A mielomeningocele pode trazer consequências a saúde do neném, como: infecções; comprometimento neurológico e motor; paralisia; incontinência fecal e urinária; convulsões; e hidrocefalia.

Não há cura para mielomeningocele, mas entre as formas possíveis de cuidado está a realização de cirurgia intrauterina, feitas desde 2011. Segundo a Associação Brasileira Superando a Mielomeningocele, com essa intervenção prévia, quando a criança ainda está no útero materno, é possível amenizar as sequelas e proporcionar qualidade de vida para a família. Afinal, se houver menos sequelas, o investimento financeiro e pessoal em terapias e tratamentos será reduzido.

A conscientização é fundamental para que os pais e mães saibam como lidar com a situação e busquem apoio e cuidados necessários aos filhos ou filhas que são acometidos da mielomeningocele. Além disso, outra organização, a Associação de Amigos, Pais e Portadores de Mielomeningocele (AAPPM), alerta: é essencial o acompanhamento durante o pré-natal e suplementação alimentar com ácido fólico antes e durante a gestação, com uma dieta regular em alimentos ricos em vitamina B9, para minimizar os riscos de possíveis malformações.

Emanuelly Silva Falqueto | Comunicação TJAC