TJAC articula expansão do programa Radioativo

Os adolescentes podem ser contratados por um ano e são atendidos com cursos profissionalizantes

Nesta terça-feira, dia 13, as instituições que colaboram com o programa Radioativo se reuniram para planejarem novas perspectivas de desenvolvimento da ação nesse segundo semestre de 2021. O objetivo é a inclusão social de jovens e adolescentes, por meio do desenvolvimento profissional.

A videoconferência contou com a presença da desembargadora-presidente do Tribunal de Justiça do Acre, Waldirene Cordeiro, da coordenadora estadual de Proteção à Infância e Juventude, desembargadora Regina Ferrari, a juíza-auxiliar da presidência Andréa Brito, a procuradora do Ministério Público do Trabalho, Marielle Cardoso, o presidente da Federação das Indústrias do Estado do Acre, José Adriano, a diretora de Educação Profissional na Senai, Geane Reis, o diretor regional do Senai, César Dotto e da psicóloga que acompanha o programa, Kariny Gonçalves.

De acordo com os dados estatísticos, 40 adolescentes acreanos participaram do programa Jovem Aprendiz em 2020. No primeiro semestre deste ano, foram beneficiados 23. Esse número reflete as dificuldades impostas pelo período de pandemia, uma vez que houve dificuldades com o ensino remoto.

Contudo, o alinhamento estava pautado no otimismo de buscar novas parcerias com o empresariado local. “O aprendizado é o caminho para a ressocialização. Precisamos dar oportunidades aos nossos jovens para que eles possam construir um futuro digno”, enfatizou a desembargadora Regina Ferrari.

A psicóloga Kariny Gonçalves da 1ª Vara da Infância e Juventude explicou que em decorrência de decisões judiciais da 1ª e 2ª Vara da Infância e Juventude de Rio Branco, o público é formado por adolescentes que estão em acolhimento ou dos que cumprem medidas socioeducativas, o que demanda essa articulação.

Deste modo, a desembargadora-presidente reforçou a importância do programa Radioativo para a garantia de direitos, conforme estabelecido pelo Estatuto da Criança e do Adolescente. De igual modo, a juíza de Direito Andrea Brito completou que o combate às vulnerabilidades é o melhor caminho para impactar essas vidas e famílias.

O presidente da Fieac confirmou seu compromisso com o programa, tendo em vista a relevância de sensibilizar os empresários disponibilização de vagas, assim como anunciou um novo edital com 25 vagas nas escolas profissionalizantes, Senai e Senac, no mês de setembro.

Assessoria | Comunicação TJAC