Presidente do TJAC participa de abertura do curso de Operador de Pistola

Os participantes terão a oportunidade de desenvolverem o conhecimento sobre a classificação das armas; montagens e desmontagens de pistolas entre outros pontos

A presidente do Tribunal de Justiça do Acre (TJAC), desembargadora Waldirene Cordeiro, participou nesta sexta-feira, 16, da abertura do curso de Operador de Pistola, promovido pela Assessoria Militar do TJAC, aos agentes de segurança. O curso ocorre na Escola do Poder Judiciário (Esjud).

Acompanhada da juíza de Direito Zenice Cardoso, que no ato representou a diretora da Esjud, desembargadora Regina Ferrari, a desembargadora-presidente enfatizou que o curso é determinação do Conselho Nacional da Justiça e considera-se pré-requisito para a execução do Plano Anual de Capacitação.

Mais de 36 agentes de segurança lotados na capital e no interior participam da atividade que está sendo ministrada pelo sargento João Paulo Souza, do BOPE, e o agente de segurança, Sharle Almada.

O curso atende a Resolução nº 291, de 23 de agosto de 2019, que consolida as resoluções sobre a Política e o Sistema Nacional de Segurança do Poder Judiciário, que dentre outras medidas incentiva a integração das unidades de segurança institucional e o compartilhamento de boas práticas entre os órgãos do Poder Judiciário, e as instituições de segurança pública e também determina entre outras medidas, que os tribunais  mediante convênio com as instituições de segurança pública promovam a formação, especialização e adestramento dos agentes de segurança, precipuamente para inteligência e segurança de dignitários e instalações. 

Os participantes terão a oportunidade de desenvolverem o conhecimento sobre a classificação das armas; montagens e desmontagens de pistolas; o manuseio com segurança com as armas de porte; a habilidade do tiro através dos fundamentos e doutrinarem os protocolos de recargas e sanar panes.

O curso também tem a finalidade de o operador ser capaz de agir demonstrando conhecimento sobre metodologias e técnicas de tiro ortodoxas e protocolos doutrinários, além demonstrar domínio no uso de armas de porte, autocontrole emocional no manuseio e emprego do armamento e agir com inteligência e controle em situações de estresse.

Assessoria | Comunicação TJAC