Comissão de honraria e mérito do TJAC debate sobre outorgas e homenagens

Reunião ocorrida na terça-feira, 18, foi a primeira realizada nesse Biênio 2021-2023 e tratou sobre a importância de reconhecer com homenagens e condecorações as pessoas que contribuíram com a história da Justiça estadual

Nesta sexta-feira, 18, os membros da Comissão de Honraria e Mérito do Tribunal de Justiça do Acre (TJAC), pelo Biênio 2021-2023, realizaram reunião para conversarem sobre o planejamento das ações de reconhecimento e outorgas de honrarias as pessoas, servidores e autoridades que contribuíram para a consolidação e fortalecimento do Poder Judiciário do Acre.

O encontro que aconteceu por meio de videoconferência foi conduzido pela desembargadora presidente, Waldirene Cordeiro, e teve a presença dos desembargadores Eva Evangelista e Samoel Evangelista, além das servidoras Vania Moizeis de França, Lina Grasiela do Nascimento e Greice Garcia da Silva.

Nessa primeira reunião, neste Biênio, foi encaminhado a elaboração do planejamento das ações da Comissão, além de ter sido discutido a importância que homenagens e condecorações tem na valorização de todos e todas que fizeram parte da história da Justiça estadual, assim como na preservação da memória do Judiciário.

A comissão é responsável por: indicar as pessoas para serem condecoradas com o Colar do Mérito do Judiciário; opinar sobre as propostas de colocação de bustos, estátuas, placas comemorativas; propor sobre a colocação e alteração dos nomes dos prédios da Justiça estadual; e por último, sugerir a entrega de outorga de reconhecimento de visitantes ilustres.

Foto da vídeochamada com a janela dos participantes em quadradinhos lado a lado

Para a decana da Corte de Justiça do Acre, desembargadora Eva Evangelista, o resgate histórico das pessoas que efetivamente prestaram serviços relevantes ao Judiciário é essencial para o fortalecimento da instituição.

“Estou muito contente e feliz por essa oportunidade. Verifico o apreço que a desembargadora Waldirene tem pela história do nosso Judiciário, por aqueles que integram nosso Poder. Costuma-se esquecer o passado. Mas, só quando se reascende, se reaviva os valores e nossa história que teremos bases sólidas para seguir no futuro. Esse é um momento muito feliz, pois, sabemos que a história do nosso Tribunal de Justiça, desses 58 anos, está reavivada”, disse a desembargadora.

Outro magistrado que também discorreu sobre a valorização e respeito as pessoas através dessas concessões de mérito foi o desembargador Samoel Evangelista, que em 2022 completa 20 anos como desembargador. Ele ainda se colocou à disposição para contribuir com os trabalhos, “É uma honra integrar essa comissão. É importante nos planejarmos e também prestarmos homenagens também aos servidores, que tiveram grandes contribuições”.

Assessoria | Comunicação TJAC