Qualidade de vida: palestra sobre crises hipertensivas é ministrada no TJAC

Ação desenvolvida pela Gevid faz parte da programação da Semana de Prevenção e Combate à Hipertensão no Poder Judiciário 

Com objetivo de conscientizar colaboradores, magistrados e servidores sobre os perigos da hipertensão, a Gerência de Qualidade de Vida (Gevid) do Tribunal de Justiça do Acre, realizou, na tarde dessa quarta-feira, 28, nova palestra por videoconferência sobre as chamadas crises hipertensivas.

A atividade, que faz parte das ações da Semana de Prevenção e Combate à Hipertensão, teve como facilitador o Dr. Fabrício Lemos, do Centro Médico do TJAC, órgão integrado à GEVID, gerido pelo Comitê de Atenção à Saúde do Tribunal de Justiça, que tem à frente o desembargador Luís Camolez.

Entre os mais de 60 participantes também estavam: o corregedor-geral da Justiça, desembargador Elcio Mendes, representando a presidência do TJAC; a decana da Corte desembargadora Eva Evangelista; o desembargador Samoel Evangelista (GMF); a juíza de Direito Maria Rosinete, presidente da Associação dos Magistrados do Acre (Asmac); entre vários outros magistrados, servidores e colaboradores.

O gestor do comitê, desembargador Luís Camolez, agradeceu a participação de todos e todas. Ele fez um breve resumo das atividades desempenhadas, do início da pandemia às atividades da Semana de Prevenção e Combate à Hipertensão e conclamou o corpo de servidores e servidoras, magistrados e magistradas a manter os cuidados com a saúde durante a pandemia. 

“Esse é um trabalho que não tem dia, não tem hora (…), mas que eu fico muito satisfeito em desempenhar. Mas a verdade é que esse é um trabalho que eu nunca poderia fazer sem o Dr. Fabrício. (…) Na pandemia de coronavírus, nós agimos prontamente (no isolamento do primeiro caso de covid-19 entre os servidores), fizemos nossa parte, fornecemos apoio, tanto é que não perdemos nenhum servidor, nenhum magistrado. Agora estamos em um momento mais restrito das nossas vidas, mas isso não é desculpa para que a gente adquira outras moléstias”, disse o desembargador Luís Camolez.  

Representando a presidente do TJAC na abertura, o corregedor-geral da Justiça, desembargador Elcio Mendes, agradeceu ao profissional do Centro Médico pelos conhecimentos compartilhados com os participantes.

“Dr. Fabrício é um profissional que sempre nos atende com carinho, com dedicação e sempre atendeu às expectativas tanto dos juízes quanto dos servidores, bem como de todas as pessoas que o procuram. Nós, de forma singela e do coração, agradecemos por todo o trabalho desenvolvido pelo senhor e por toda sua equipe. Em nome da Administração, eu deixo aqui o nosso obrigado”, falou o desembargador Elcio Mendes. 

Uma doença silenciosa e perigosa

Durante quase uma hora o médico falou sobre o grande perigo representado pelas crises hipertensivas, que podem causar danos ou lesões a órgãos importantes como o coração, o cérebro e os rins (infarto agudo do miocárdio, acidente vascular cerebral, isquemia, falência renal etc), sendo, em grande parte das vezes, fatal. “E aí, dependendo de onde o paciente está, das condições do paciente ou se há ou não uma unidade próxima, a pessoa vai a óbito infelizmente. (…) Eu já perdi um paciente em uma pista de aeroporto pra vocês terem ideia”, explicou o médico

O titular do Centro Médico do Tribunal também alertou os participantes sobre a necessidade da adoção de hábitos e alimentação saudáveis, da busca pela qualidade do sono, mitigação do estresse, entre outras saídas para os hipertensos – que em 90% dos casos têm a doença por origem genética. “É realmente buscar qualidade de vida; evitar gordura, bebidas alcoólicas, não fumar ou deixar de fumar, perder peso, se está acima do peso, combater o estresse, ter momentos de lazer com a família. Tudo isso contribui para uma vida mais saudável e diminui a probabilidade do paciente ter uma crise hipertensiva”, destacou o médico Fabrício Lemos. 



Assessoria | Comunicação TJAC