Justiça condena jovem pelas práticas de crime de latrocínio e ocultação de cadáver

O caso ocorreu no quilômetro 30 do Ramal do Raildo, na zona rural de Capixaba, no interior do Acre, em julho de 2020. A vítima todos os meses se dirigia ao local para a realização da leitura dos padrões de energia.

O Juízo da Vara Criminal da Comarca de Capixaba condenou um jovem a pena de 27 anos de reclusão, um ano de detenção e 42 dias multas, pelas práticas dos crimes de latrocínio e ocultação de cadáver.

O caso ocorreu no quilômetro 30 do Ramal do Raildo, na zona rural de Capixaba, no interior do Acre, em julho de 2020. A vítima todos os meses se dirigia ao local para a realização da leitura dos padrões de energia.

“As circunstâncias foram relevantes para os dois crimes. Tudo foi premeditado. A subtração de pertences da vítima era conduta que estava sendo arquitetada pelo réu e seus comparsas antes. Dois meses antes dos fatos a conduta da vítima vinha sendo observada. A vítima foi alvejada com um disparo de arma de fogo que pegou a parte esquerda das costas, vindo a falecer. Trata-se de atitude covarde, não possibilitando reação da vítima, eis que foi pega de surpresa”, diz trecho da sentença da juíza de Direito Louise Kristina Santana.

De acordo com o processo, após atirar na vítima, o réu escondeu a motocicleta em um matagal e algumas peças em sua residência, as quais posteriormente foram encontradas pela polícia. O corpo da vítima foi enterrado em uma cova rasa.

Na sentença, publicada na edição desta sexta-feira, 19, do Diário da Justiça Eletrônico, o Juízo também condenou o réu por corrupção de menor. Foi estabelecido regime fechado para o cumprimento inicial da pena.

 

 

   

Assessoria | Comunicação TJAC