Corregedor-geral da Justiça recebe visita de cortesia

Representantes do Sistema de Justiça discutiram sobre fluxo dos serviços e alinhamentos de parceria institucional

O corregedor-geral da Justiça, desembargador Élcio Mendes, recebeu várias visitas de cortesia nesta terça-feira, 9, de representantes do Sistema de Justiça, para parabenizá-lo pela recente posse à frente da Corregedoria.  As visitas, em sua maioria, ocorreram de forma remota em razão das limitações no trânsito de pessoas no prédio-sede do Tribunal de Justiça do Acre para evitar a proliferação da COVID-19.

A primeira visita do dia foi do corregedor-geral da Polícia Civil, Fabrizzio Sobreira. Na oportunidade, ele desejou êxito no cargo ao corregedor-desembargador e os dois discutiram os trâmites dos serviços.

Na sequência, o desembargador-corregedor, recebeu o corregedor-geral da Polícia Federal, Rildo Lima e, posteriormente, o coronel Jefferson Ruiz da Polícia Militar do Acre. Na reunião, cada um apresentou procedimentos de rotina do seu setor do órgão de lotação e também expuseram votos de boas-vindas ao desembargador-corregedor.

Ainda na agenda da parte da manhã, o desembargador-corregedor Élcio Mendes reuniu-se com a defensora pública geral do Acre, Simone Santiago e a subdefensora-chefe da instituição, Roberta Caminha, onde trataram sobre os procedimentos para realização de audiência por videoconferência.

“Sabemos sobre a dificuldade com os números de defensores e juízes. A videoconferência ajuda a suprir essa questão, pois diminui o deslocamento, ajuda na economia entre outros pontos. É uma ferramenta rápida e possui o seu sigilo. Faremos uma visita para conversar sobre o contexto dessa situação no estado e verificar as localidades que existem maior dificuldade via internet. Vamos avaliar esse procedimentos para adequar o horário de audiências”, disse o desembargador-corregedor Élcio Mendes.

A agenda da manhã foi finalizada com a reunião entre a equipe da Coger e a juíza de Direitos de Proteção à Mulher de Cruzeiro do Sul, Carolina Bragança, onde foi alinhado tratativa nas causas de violência doméstica e familiar.

Assessoria | Comunicação TJAC