Presidência do Tribunal de Justiça do Acre garante parcerias do Projeto Cidadão para o Biênio 2019-2021

Desde a sua criação, na década de 90, ação já atendeu mais de um milhão de pessoas, inclusive em áreas distantes e de difícil acesso da Floresta Amazônica Acreana.

A Presidência do Tribunal de Justiça do Acre (TJAC) se reuniu com representantes de várias instituições, nesta segunda-feira (25), no Palácio da Justiça, para discutirem sobre a manutenção de parcerias para o Projeto Cidadão no Biênio 2019-2021.

A ação, idealizada pelo Poder Judiciário Acreano, há 24 anos, é voltada à população mais necessitada disponibilizando o direito à documentação básica, como também o acesso rápido e gratuito aos serviços públicos fundamentais, a exemplo de saúde, trabalho, educação e área jurídica.

“Nós sabemos que, quando todos trabalham para um mesmo objetivo, grandes realizações são alcançadas. Várias dessas instituições já realizam atividades sociais e, nossa proposta, é integrar essas ações, compartilhar experiências de sucesso para conseguirmos alcançar o nosso objetivo maior, que é a prestação do serviço aos que mais necessitam”, disse o desembargador-presidente do TJAC, Francisco Djalma.

Na oportunidade, os representantes selaram a manutenção da parceria para oferecerem serviços dentro da competência de cada órgão. São mais de vinte instituições que, juntas, formarão a Caravana da Cidadania.

Em seu pronunciamento, a coordenadora do Projeto Cidadão, desembargadora Eva Evangelista, destacou sobre o compromisso social, por parte do Judiciário Acreano, em dar continuidade às edições do projeto em momentos de crise financeira.

 “O Projeto Cidadão nasceu na década de 90 e só poderá ser mantido com a parceria e empenho de todos. Isso significa políticas públicas. É compromisso e respeito pela cidadania. Somente quem compareceu ao Projeto Cidadão pode entender as pessoas mais necessitadas”, destacou.

Desde a sua criação, o Projeto Cidadão já atendeu mais de um milhão de pessoas mais distantes da Floresta Amazônica Acreana, a fim de democratizar os serviços públicos e fortalecer o exercício da cidadania.

O corregedor-geral da Justiça, desembargador Júnior Alberto, lamentou sobre o corte de repasse federal para o desenvolvimento da ação e enfatizou a importância das parcerias.

“O Projeto Cidadão beneficia a todos os cidadãos e precisa da sua continuidade. É um momento de união”, disse.

A presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AC), desembargadora Regina Ferrari, colocou o órgão à disposição para as ações sociais do TJAC e registrou o contentamento pela retomada do projeto.

Participaram ainda da reunião, a juíza-auxiliar da Presidência, Andréa Brito e o diretor de Gestão Estratégica, Euclides Bastos.

 

Projeto Cidadão

Os primeiros passos do Projeto Cidadão surgiram em 1995, em bairros carentes da capital do Acre, Rio Branco, providenciando-se documentação à comunidade.

A iniciativa surgia com o objetivo de reverter estatísticas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), as quais indicavam que, até aquela data, mais de 60% da população acreana não possuíam nenhum tipo de registro legal.

São milhares de quilômetros percorridos pela equipe, sejam em dias chuvosos ou ensolarados, para chegar aos lugares mais distantes. A ação é desenvolvida por meio da parceria com órgãos federais, estaduais, municipais e não-governamentais e, por conta disso, alcança a quem mais precisa com diversas outras atividades.

Postado em: Galeria, Notícias | Tags:

Fonte: Atualizado em 26/03/2019