Tribunal de Justiça aposta na sustentabilidade para decoração natalina

Mais de 2 mil garrafas que iam para o lixo foram readaptadas e transformadas em enfeites que decoram a entrada da sede-administrativa do TJAC

O mês de dezembro chegou e com ele, o clima natalino. Como em anos anteriores, o Tribunal de Justiça do Estado do Acre (TJAC) acredita novamente na decoração sustentável voltada para o período natalino como uma alternativa em ornamentação, além de provocar a reflexão para a cultura do reaproveitamento e reciclagem.

Planejado e concebida pelo Núcleo Socioambiental Permanente (Nusap), sob coordenação da desembargadora Waldirene Cordeiro, a atividade foi produzida por várias mãos, a partir da colaboração voluntária de servidores e colaboradores. Um verdadeiro mutirão foi realizado para arrecadar os descartáveis, para que pudessem ser manufaturados na elaboração das artes.

Aproximadamente 2 mil garrafas pets que iam para o lixo viraram artesanatos e formaram velas e caixas de presentes, representando votos de iluminação, transformação, solidariedade e desejos de bons sentimentos para este período de final de ano, além de embelezar a entrada da sede-administrativa do TJAC.

O objetivo inicial era que todas as unidades judiciais pudessem receber a decoração, mas devido a pandemia do novo coronavírus, esse intuído foi adiado.

A responsável pelo NUSAP, desembargadora Waldirene Cordeiro, destacou a importância de promover o espirito natalino aliada a preservação do meio ambiente. “Ao investir em uma decoração natalina sustentável, estamos inovando com uma decoração belíssima e contribuindo com o meio ambiente, ademais de propagarmos uma atividade de preservação e conscientização através do reaproveitamento de materiais que seriam descartados”, afirmou a magistrada.

A ideia da decoração vai ao encontro de atitudes já adotadas pelo TJAC nas questões de preservação ao meio ambiente como, por exemplo, a redução de papel, extinção do uso de copos descartáveis no prédio da Administração e redução nas outras unidades – com mobilização para a utilização das canecas – , entre outras ações.

Assim, as atitudes e modelo de gestão do Poder Judiciário acreano também está em consonância com a Agenda 2030, que é um plano de ação para as pessoas, o planeta e a prosperidade, que busca fortalecer a paz universal.

O plano indica 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, os ODS, e 169 metas, para erradicar a pobreza e promover vida digna para todos, dentro dos limites do planeta. São objetivos e metas claras, para que todos os países adotem de acordo com suas próprias prioridades e atuem no espírito de uma parceria global que orienta as escolhas necessárias para melhorar a vida das pessoas, agora e no futuro.

Postado em: Galeria, Notícias | Tags:,

Fonte: GECOM Atualizado em 01/12/2020