TJAC alcança índice satisfatório de tecnologia da informação do Perfil em Governança do CNJ

O bom resultado é fruto dos investimentos realizados pela atual gestão, visando garantir aos cidadãos uma prestação jurisdicional mais célere e eficiente.

O Tribunal de Justiça do Acre (TJAC) lidera o ranking dos tribunais que apresentaram índice satisfatório no relatório “Perfil em Governança, Gestão e Infraestrutura de TIC do Poder Judiciário 2015/2016”, divulgado na quinta-feira (1º), no Portal do Conselho Nacional de Justiça.  O TJAC apresentou pontuação 0,68 deixando para trás nada menos que 19 tribunais estaduais. No índice geral, a Justiça Acreana saltou da décima nona para a quinta colocação.

O bom resultado é fruto dos investimentos realizados pela atual gestão, visando garantir aos cidadãos uma prestação jurisdicional mais célere e eficiente, bem como elevar a Instituição a patamar de excelência.

A iniciativa é da própria Presidência que, com esforço concentrado, decidiu investir para que as diretorias da gestão, incluindo a Diretoria de Tecnologia da Informação, alcancem nível máximo de qualidade. Ainda nesse sentido, a desembargadora-presidente Cezarinete Angelim tem assinalado a importância de se alcançar autonomia e profissionalização, razão pela qual tem dotado os setores de treinamento, aperfeiçoamento técnico e capacitação permanentes.

A Administração do Poder Judiciário Acreano investe em tecnologia como forma de impulsionar os serviços judiciais e administrativos, ao passo que promove o nivelamento de seus servidores nos mais diversos setores, preparando-os para enfrentar os problemas, desafios e a nova realidade do contexto moderno.

Não é por acaso que o setor de tecnologia tem recebido atenção redobrada e investimentos constantes pela atual gestão do TJAC, uma receita simples de fazer mais com menos, e de forma inovadora. “O nosso tribunal converge, caminha para atingir esse tão almejado patamar de excelência, e a concretização desse projeto tão especial depende do empenho pessoal de cada um de nós”, ressaltou a presidente.

O relatório

A publicação do diagnóstico está prevista na Resolução CNJ 211, que estabeleceu Estratégia Nacional de Tecnologia da Informação e Comunicação (ENTIC-JUD), válida para o período 2015/2020. Segundo o artigo 32 da norma, o levantamento será divulgado anualmente. O CNJ pretende promover, com a periodicidade do estudo, “a transparência, a integração e o compartilhamento de informações entre os órgãos e as áreas de TIC do Poder Judiciário”. De acordo com o responsável pelo levantamento, a divulgação dos resultados vai incentivar a troca de experiências entre os responsáveis da área de cada tribunal.

De acordo com informações publicadas no Portal do CNJ, objetivo do Perfil em Governança, Gestão e Infraestrutura de TIC do Poder Judiciário, inédito no país, é aprimorar o acompanhamento da evolução da TI nos diferentes órgãos da Justiça brasileira. No diagnóstico, o desempenho de cada tribunal na área recebeu um parecer com as avaliações “baixa, satisfatória, aprimorada” ou “excelência”.

A publicação é um instrumento novo para o CNJ acompanhar “a maturidade de cada tribunal nesse campo da tecnologia da informação”. Para poder chegar a uma conclusão completa, o CNJ enviou aos tribunais um questionário com cerca de 270 perguntas para serem respondidas pelos dirigentes de TI em cada órgão.

Os questionamentos se referem a políticas, ao planejamento, às competências e ao desempenho das pessoas, ao controle de gestão, à integração e ao nivelamento dos sistemas e aos serviços de infraestrutura, entre outros aspectos.

Postado em: Notícias | Tags:,

Fonte: Atualizado em 13/12/2016