Caso adolescente assassinada: 3ª Vara Criminal ouve réus e testemunhas em audiência

Menos de três meses depois do crime, o Judiciário Acreano já começa a dar uma resposta à sociedade sobre o caso da jovem Luana Souza de Freitas, de apenas 15 anos, morta com um tiro no tórax durante tentativa de assalto a uma residência no bairro Conquista, em Rio Branco.

Na mesma ocasião, o pai da vítima, Aldeci de Freitas e o irmão dela, Lucas de Freitas, de 18 anos, também foram feridos e ficaram internados no Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco (Huerb).

A 3ª Vara Criminal realizou nesta sexta-feira (28) a audiência de instrução e julgamento do processo nº 0008728-38.2014.01.0001, sendo que foram ouvidas nove testemunhas e os quatro réus acusados do crime:

Marcos José Castro Virgínio (vulgo Marquinho); Jefson Castro da Silva; Bruno de Souza da Silva (vulgo capetinha) e Wellington de Souza Lima (vulgo Souza).

Eles foram denunciados com base no artigo 157, parágrafo 3º, do Código Penal. Ou seja, “subtrair coisa móvel alheia, para si ou para outrem, mediante grave ameaça ou violência a pessoa” e quando a “violência resulta em lesão corporal grave e/ou resulta morte”.

A audiência durou toda manhã e início da tarde e, a partir de agora, haverá as alegações finais por parte do Ministério Público e defesa (por meio de memoriais), a fim de que o Juízo da unidade judiciária possa proferir a sentença.

Postado em: Notícias | Tags:,

Fonte: Atualizado em 19/12/2014