Combate à violência contra a mulher é tema de palestra militares pelo TJAC no 61º BIS

Atividade faz parte dos 21 Dias de Ativismo Pelo Fim da Violência Contra a Mulher, em uma ação da Prefeitura de Cruzeiro do Sul em parceria com o Tribunal de Justiça do Acre

“Prometo jamais cometer um ato violento contra as mulheres, e não fechar os olhos frente a essa violência. Assim o prometo”. Esse foi o juramento feito por cerca de 151 militares do Comando de Fronteira Juruá – 61º Batalhão de Infantaria de Selva, presentes na palestra proferida na manhã desta quinta-feira, 1º, pela desembargadora Eva Evangelista.

À frente da Coordenadoria Estadual da mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar (Comsiv), a desembargadora participou da atividade que é uma ação conjunta do Tribunal de Justiça do Acre (TJAC), com a Prefeitura de Cruzeiro do Sul, por meio da Coordenadoria Municipal de Políticas para as Mulheres, que tem como coordenadora, Sergiane Silva.

A atividade faz parte da programação pelos “ 21 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra a Mulher”, do Judiciário acreano, alinhada com o Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Desembargadora Eva Evangelista falou dos aspectos culturais em como a violência contra a mulher está justificada pelas práticas machistas na sociedade. Também ressaltou a importância de cada um presente na atividade, para a conscientização e disseminação enquanto agente que atua no combate à violência contra a mulher.

“É necessário estarmos atentos a todos os aspectos que reforçam as atitudes criminosas cometidas contra as mulheres. A violência não pode ser banalizada. Vocês têm um papel muito importante na sociedade, afinal, essa não pode ser uma luta só das mulheres”, disse.

A coordenadora Municipal de Políticas para as Mulheres, Sergiane Silva, agradeceu a participação do Tribunal de Justiça do Acre e 61º BIS pela oportunidade. “É histórico o que estamos fazendo aqui hoje, pois é mais uma ação que reforça essa luta. São sementes que plantamos com intuito de colher a transformação dessa realidade. Somos muitos gratos a todo o apoio do Poder Judiciário do Acre”, finalizou.   

Andréa Zílio e Emanuelly Falqueto | Comunicação TJAC