Presidente do TJAC assina Pacto pela Democracia

Encontro promovido pelo Tribunal Regional Eleitoral, propõe a adesão do Tribunal de Justiça do Acre e outras instituições ao movimento nacional em apoio à Justiça Eleitoral

A presidente do Tribunal de Justiça do Acre (TJAC), desembargadora Waldirene Cordeiro, participou na tarde desta segunda-feira, 1 de agosto, do encontro promovido pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AC), para adesão ao “Pacto pela Democracia”.

Com intuito de unir esforços para enfrentar a disseminação de conteúdos falsos ou descontextualizados durante as Eleições 2022, o TRE assim como outros tribunais estaduais estão promovendo a articulação para adesão das instituições ao movimento nacional em apoio à Justiça Eleitoral.

A reunião promovida pelo TRE-AC, também teve a presença de representantes da Justiça Federal, Ministério Público Federal, Ministério Público Estadual, Ordem dos Advogados do Brasil, Polícia Federal, Polícia Militar e Polícia Civil que também assinaram o documento “Pacto pela Democracia”.

O Brasil atua há 90 anos com eleições presidenciais e há 26 anos usando o sistema de urna eletrônica. Segundo o presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Acre, desembargador Francisco Djalma, o objetivo é reduzir os efeitos nocivos da disseminação de desinformação que atente contra a democracia e a imagem institucional da Justiça Eleitoral e de seus integrantes, a integridade e segurança do processo de votação em suas diferentes fases nas Eleições Gerais de 2022.

“É muito importante neste momento a união das instituições na adesão a essa rede para o fortalecimento institucional e combate à desinformação, para que tenhamos um processo eleitoral transparente e tranquilo”, afirmou o presidente do TRE-AC.

Na ocasião a presidente do TJAC, desembargadora Waldirene Cordeiro, ressaltou a obrigação das instituições em tratar sempre com a informação a todos que farão uso do estado de democracia. “O Judiciário não ficaria a latere desse momento de firmar esse pacto. O TRE-AC conte com o apoio do Judiciário, e a informação faz parte da nossa obrigação enquanto servidor, enquanto servir o jurisdicionado, o eleitor, o eleitorado como um todo. O fortalecimento só trará bons frutos para o exercício da democracia brasileira”, disse. 

Andréa Zílio | Comunicação TJAC