TJAC promove roda de conversa sobre violência contra mulher com deficiência

A transmissão será pelo Google meet, na sexta-feira, às 15h, 3 de dezembro, Dia Internacional da Pessoa com Deficiência

Reiterando seu compromisso com a causa social e contra a invisibilidade das pessoas com deficiência, o Tribunal de Justiça do Acre (TJAC), através do Comitê da Diversidade, promoverá uma roda de conversa cuja temática é “Marcas da violência – pela erradicação da violência contra mulher com deficiência”, às 15h, na sexta-feira, 3, Dia Internacional da Pessoa com Deficiência. O encontro será de forma virtual pelo Google Meet, com a participação de intérprete  de Língua Brasileira de Sinais (Libras).

Para participar, clique no link aqui

A atividade é uma iniciativa do Comitê da Diversidade do TJAC e faz parte da programação nacional de um evento inédito. Pela primeira vez, as mulheres com deficiência no Brasil se unem para construção da I Jornada de Enfrentamento à Violência Contra Mulheres com Deficiência. O bate-papo ainda integra os 16 dias de Ativismo pelo Fim da Violência Doméstica Contra a Mulher, iniciado no dia 25 de novembro. A mediadora da roda de conversa será a juíza de Direito titular da Vara de Proteção à Mulher da Comarca de Rio Branco Shirlei Hage. 

Segundo o Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan), as mulheres são as principais vítimas de violência sexual entre as pessoas com deficiência. Em 2020, elas foram 86% das vítimas, ano em que sete mulheres com deficiência sofreram violência sexual por dia, em média.

Participantes

Eva Evangelista

Decana da Corte de Justiça do Acre. Atualmente é Coordenadora Estadual das Mulheres em Situação de Violência Doméstica e Familiar (Comsiv) e Coordenadora do Projeto Cidadão. Foi vice-presidente do Colégio de Coordenadorias de Violência Doméstica e Familiar (COCEVID). Presidente do Tribunal de Justiça no biênio 1987/1989; Vice-Presidente e Corregedora Geral da Justiça nos períodos de 1990 a 1991 e 1999 a 2001.


Ana Rita de Paula

Psicóloga, é consultora da Amigos dos Metroviários (AME) há 10 anos, além de outras organizações não-governamentais e órgãos públicos municipais, estaduais e federais. Recebeu, entre outros, o Prêmio Direitos Humanos da Universidade de São Paulo, em 2001 e o Prêmio Nacional de Direitos Humanos, outorgado pela Secretaria Especial de Direitos Humanos da Presidência da República, em 2004. Mestre em Psicologia Social e Doutora em Psicologia Clínica pela Universidade de São Paulo (USP). Há 30 anos faz parte da liderança do movimento pela defesa dos direitos das pessoas com deficiência. Co-autora do livro “Sexualidade e Deficiência: Rompendo o Silêncio” e autora do livro “Asilamento de Pessoas com Deficiência: A institucionalização da incapacidade social”.


Rebeca de Paula

Socióloga, acadêmica de gestão pública, amputada e Gerente do departamento de promoção dos direitos da Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (SASDH) da Prefeitura Municipal de Rio Branco (PMRB).


3 de dezembro – Dia Internacional da Pessoa com Deficiência

O Dia Internacional da pessoa com deficiência é comemorado em 3 de dezembro, tendo sido instituído pela Organização das Nações Unidas (ONU) em outubro de 1992 para celebrar o fim do ciclo iniciado em 1983, ano em que foi adotado pela Assembléia Geral da ONU o Programa Mundial de Ação a respeito das Pessoas com Deficiência. 

A data também carrega o objetivo de informar a população sobre todos os assuntos relacionados à deficiência, além disso, busca também conscientizar sobre a importância de inserir as pessoas com deficiência em diferentes aspectos sociais, como político, econômico e cultural.

É no Dia Internacional da Pessoa com Deficiência que as Nações Unidas ressaltam os benefícios que a acessibilidade traz não só para as pessoas com deficiência, mas também para a sociedade como um todo.

Elisson Nogueira Magalhaes | Comunicação TJAC