Rede Estadual de Proteção à Mulher se reúne no TJAC para ampliar ações de combate à violência doméstica

Membros e representantes dos três Poderes do Estado reafirmaram seu compromisso e engajamento para proteção da mulher.

Membros da Rede Estadual de Proteção à Mulher reuniram nesta quinta-feira, 23, na sede do Tribunal de Justiça do Acre (TJAC) para planejamento da ampliação das ações de enfrentamento e erradicação da violência doméstica e familiar contra a mulher. Representantes dos três poderes do Estado, além de outras organizações sociais consolidaram sua união para o enfrentamento desta violência.

No encontro, foram discutidos diversos assuntos: efetivação do botão da vida; atendimento à vítima; problemática do machismo estrutural e institucional; realização de trabalhos com autoestima feminina; apresentação de projetos sociais como a Fazenda Esperança Feminina Maria Madalena, em Cruzeiro do Sul; e as atividades de conscientização e transformação desenvolvidas no âmbito do Judiciário, como o grupo reflexivo “Homens em Transformação”, da Vara de Execução de Penas e Medidas Alternativas da Comarca de Rio Branco (VEPMA).

O desembargador-presidente, Francisco Djalma, fez questão de cumprimentar todas e todos os presentes e reiterou o compromisso da Justiça Acreano com a causa, por meio da atuação da Coordenadoria Estadual das Mulheres em Situação de Violência Doméstica e Familiar, que integra a Rede Estadual.

“É importante tratar da proteção das mulheres vítimas de violência doméstica. Por isso, devemos reforçar nossa atenção a essa problemática. Espero que com esse trabalho e essa união que está crescendo, possamos um dia, comemorarmos a pacificação social e reitero que as portas do Tribunal de Justiça estarão sempre abertas para ampliarmos essas ações”, disse o magistrado.

Frente de Ataque

O atendimento e a proteção à vítima, as atividades de conscientização, a desconstrução do machismo, a integração das ações e o fortalecimento da comunicação com a sociedade e do dialogo interinstitucional são as frentes de ataque que foram apontadas na reunião pelas participantes.

Para a coordenadora Estadual das Mulheres em Situação de Violência Doméstica e Familiar, desembargadora Eva Evangelista, a colaboração é essencial para construção de um cenário melhor em relação proteção da mulher. “Sem a Rede Estadual de Proteção não podemos fazer nada. Essa é uma congregação de esforços onde cada um é fundamental”, enfatizou.

Com esse engajamento que estiveram presentes neste encontro, além de desembargadores, juízes de Direito e servidores do TJAC, representantes do: Ministério Público do Estado do Acre (MPAC), Defensoria Pública do Estado do Acre (DPAC), Vara de Proteção à Mulher da Comarca de Rio Branco (VPMRB), Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (DEAM), do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), do gabinete da primeira-dama do Estado do Acre, do Instituto de Assistência e Inclusão Social (IAIS) do Estado, da prefeitura de Rio Branco e da Secretaria municipal de Assistência Social e Direitos Humanos, de instituições de ensino público, assim como, a deputada estadual Juliana Rodrigues, fundadoras, coordenadoras e voluntárias de projetos sociais voltados para as mulheres.

A diretora da Fazenda Esperança Feminina (Casa Maria Madalena), Beatriz Cameli, comentou a sobre a necessidade da cooperação na proteção e amparo às mulheres. “Estou me aliando a vocês para continuar ajudando. Contamos com todos aqueles que acreditam que é possível. Não podemos ficar de braços cruzados”, concluiu Cameli.

Assessoria | Comunicação TJAC