Exposição ‘5 Décadas do Judiciário Acreano’ é aberta em Brasileia

Mostra traduz os propósitos da atual Administração ao constante aperfeiçoamento do trabalho e à melhoria dos serviços oferecidos à população.

A exposição ‘5 Décadas do Judiciário Acreano’, que retrata parte da história da Justiça Estadual, foi aberta nesta quarta-feira (18), na Comarca de Brasileia, no Fórum Dr. Evaldo Abreu de Oliveira. A cidade fronteiriça, distante 232 quilômetros de Rio Branco, é a segunda a receber a atividade, que possibilita à comunidade conhecer os desafios e avanços enfrentados pelo Judiciário desde sua fundação.

O evento foi aberto pelo vice-presidente, em exercício, desembargador Pedro Ranzi, que na ocasião representou a presidente do Tribunal de Justiça do Acre (TJAC), desembargadora Denise Bonfim. Ele destacou a necessidade da união entre os órgãos, pelo fato de todos estarem interligados no sistema para a prestação jurisdicional.

“Essa exposição mostra, além da fundação do Judiciário Acreano, um pouco da história do Acre. Retrata nossos serviços e o muito que temos a prestar. Um fato importante, que merece destaque, é o Planejamento Estratégico, pois nos deu melhor profissionalismo e resultados, não somente nas sentenças, mas nas reintegrações e ações sociais”, comentou o vice-presidente, em exercício.

O desembargador salientou, ainda, que não são apenas processos trabalhados no Judiciário Acreano, mas os dramas das pessoas e, por essa razão, o Tribunal tem o papel de resolver o conflito e trazer a integração dos demais órgãos.

Na solenidade, o diretor do Foro da Comarca de Brasileia e juiz de direito, Clóvis Lodi, convidou toda a sociedade para o evento e para conhecer a história do Judiciário Acreano, no que tange à defesa da democracia e a garantia dos direitos dos cidadãos.

“É uma história emocionante. Muitos desses personagens largaram família e tudo lá fora para desbravar essa terra. Ajudaram na construção do Judiciário que temos hoje. Fico orgulhoso e honrado disso”, enfatizou.

À sociedade

A mostra traduz os propósitos da atual Administração ao constante aperfeiçoamento do trabalho e à melhoria dos serviços oferecidos à população.

O processo de documentação e de memória revela ainda a defesa da transparência na gestão pública e da democracia, com acesso aos bens culturais e aos conhecimentos da Justiça Acreana por parte da comunidade em geral.

Em cada edição da atividade, imagens e textos são apresentados em painéis, além de um documentário, mostrando a instalação da Justiça no Território do Acre, no ano de 1963, quando foi promulgada a Constituição do Estado do Acre, após a escolha do primeiro governador eleito, José Augusto de Araújo, e dos deputados estaduais constituintes.

A iniciativa faz parte do Convênio nº 799492/13, firmado com o Ministério da Cultura (Governo Federal), e a Fundação de Cultura e Comunicação Elias Mansour (FEM), do Executivo estadual.

A exposição ‘5 Décadas do Judiciário Acreano’ ainda percorrerá cinco municípios. Seu lançamento ocorreu em Xapuri, no mês passado. Em Brasileia, a atividade segue até o dia 4 de maio.

Convidados

Na abertura, os prefeitos dos municípios de Brasileia e Epitaciolândia, Fernanda Hassen e Tião Flores, parabenizaram, respectivamente, pela atividade, e destacaram parcerias e avanços do Tribunal.

O conselheiro Federal da Ordem dos Advogados do Brasil, Sérgio Quintanilha, ressaltou ouvir muitos elogios da Justiça Acreana nas instâncias superiores e também parabenizou os magistrados e servidores que procuram fazer o melhor para a aplicação da verdadeira justiça.

Um morador antigo de Brasileia, Epaminondas Souza, conhecido em toda a região por ter sido um grande comerciante, falou um pouco sobre a partes rústicas da história do Acre e lembrou ainda do juiz Evaldo Abreu de Oliveira (in memoriam).

 

 

Veja aqui as fotos da Exposição ‘5 Décadas do Judiciário Acreano’ em Brasileia.

Postado em: Galeria, Notícias | Tags:

Fonte: Atualizado em 20/04/2018