Coordenação dos Juizados Especiais visita comarcas do Alto Acre

Em todas as comarcas foram averiguadas as dinâmicas nos procedimentos de atendimentos à população por parte de servidores e magistrados.

O vice-presidente em exercício do Tribunal de Justiça do Acre (TJAC) e coordenador dos Juizados Especiais Cíveis, desembargador Pedro Ranzi, e equipe de assessores percorreram várias unidades judiciais do interior do Estado para fortalecer a relação entre Presidência, servidores e magistrados. Na ocasião, o desembargador representou a presidente do Judiciário Acreano, desembargadora Denise Bonfim, que cumpre agenda institucional no exterior.

Foram visitadas as unidades de Acrelândia, Xapuri, Assis Brasil, Epitaciolândia, Brasileia, Plácido de Castro e Capixaba. Em todas elas o desembargador averiguou como anda a dinâmica no procedimento de atendimento à população por parte de servidores e magistrados.

“Não é uma espécie de fiscalização, mas uma visita para ouvirmos os servidores e juízes. Estou sendo uma espécie de porta-voz da Presidência, pois o Tribunal precisa ser fortalecido sempre, e essa troca de ideias é fundamental para esse crescimento. É bom ouvir como os servidores e magistrados estão inovando nos atendimentos para uma melhor prestação jurisdicional”, disse o desembargador Pedro Ranzi, que também é coordenador dos Juizados Especiais Cíveis.

Ele destacou ainda que os operadores de direito, de uma forma geral, são apegados a normas e isso, de certa forma, é prejudicial, quando há a opção de fazer acordo entre as partes sem prejudicar nenhuma delas.

“É bom ouvir as sensibilidades das pessoas. Somos muito apegados às normas. Se o procedimento não for ilegal ou irregular, pode ser feito acordo entre as partes. Só não pode é nenhuma das partes ser prejudicada. Elas precisam estar cientes. Todos são servidores do TJAC e não há a questão de comarca A ou B. O importante é a visão institucional e isso foi visto demais nessas unidades”, ressaltou o desembargador.

Em Epitaciolândia, por exemplo, os servidores agradeceram a visita do desembargador e relataram o processo de atendimento, a forma de promoveram a conciliação das partes, dificuldades encontradas em determinadas áreas entre outros.

“Somos uma espécie de psicólogos. Muitas vezes as pessoas nem vêm em busca de denunciar alguém ou para informações de processos, mas apenas para terem seus problemas ouvidos e pedem conselhos. Fazemos isso com toda a satisfação”, ressaltaram os servidores.

O ciclo de visitas terminou na Comarca de Brasileia onde acontece a Exposição ‘5 décadas da Justiça Acreana’, até 4 de maio, e ocorreu a sessão da ‘Câmara Itinerante’, na quinta-feira (19).

O diretor do Foro da Comarca de Brasileia, juiz de Direito Clovis Lodi, agradeceu o apoio do desembargador e sensibilidade para ouvir os servidores e magistrados, e prestou as felicitações pelos 30 anos de magistratura completados no mês passado.

“O desembargador Pedro Ranzi era o presidente do TJAC quando ingressei no Poder Judiciário Acreano. Ele é uma referência para nós magistrados e recebê-lo em nossa comarca é uma grande honra”, comentou.

 

 

Postado em: Galeria, Notícias | Tags:

Fonte: Publicado em 20/04/2018