XXII Copedem reafirma importância da Enfam e destaca a preocupação com o magistrado

Representado a Diretora da ESMAC, Desembargadora Eva Evangelista, a Juíza de Direito Regina Célia Ferrari Longuini, membro do Conselho Consultivo do órgão de ensino, acompanhada da assessora pedagógica da Escola, Juraci Nunes, participaram da XXII Reunião do Colégio Permanente de Diretores de Escolas Estaduais da Magistratura (Copedem), ocorrida nos dias 26 a 28 de agosto, em Brasília (DF).

O Copedem tem como principais propostas a defesa dos princípios, prerrogativas, independência e funções institucionais de todas as Escolas Estaduais, além de promover o intercâmbio entre essas instituições, com troca permanente de experiência funcionais, administrativas e culturais.

O Encontro reafirmou a importância da Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados (Enfam) como entidade representativa dos anseios e das aspirações das Escolas de Magistratura dos Estados, conferindo-lhe a necessária legitimidade para que possa desempenhar maior protagonismo na formulação das regras de acesso à carreira da magistratura.

Também ressaltou a necessidade de aprimoramento do atual modelo de seleção e formação de magistrados, que possibilite um acompanhamento mais efetivo, principalmente na fase inicial da carreira, de modo a permitir a identificação daqueles verdadeiramente vocacionados para a magistratura. Para este fim, foi realizada uma visita ao Instituto Rio Branco, a escola diplomática do Brasil, para verificar o modelo de ingresso e formação utilizado pelo Instituto, que é responsável pela seleção, formação e treinamento dos diplomatas de carreira do governo brasileiro.

Foram discutidos ainda temas como virtualização de processos, consultas à Capes sobre mestrado profissional nas escolas da magistratura, convênio de cooperação entre Enfam, Copedem e CNJ, planejamento estratégico, pesquisa científica, orçamento 2011, entre outros temas.

Dois projetos de cursos foram apresentados durante o evento. O primeiro pela Escola do Tocantis, “Gestão Acadêmica e Administrativa”, que visa proporcionar conhecimentos básicos para estrutura e funcionamento das escolas de magistratura. O segundo curso, com o tema “Capacitação de facilitadores para Justiça Restauradora, Mediação Penal, Prevenção de Violência e Direitos Humanos”, apresentado pela Escola da Bahia, com o objetivo de desenvolver competência básica necessária à gestão e mediação de conflitos.

 

(Fonte: Assessoria de Imprensa da ESMAC)

 

 

Postado em: Notícias | Tags: Sem tags

Fonte: Publicado em 01/09/2010