TJAC e MP/AC promovem encontro com Conselheiro do CNJ

Juízes e promotores de Rio Branco e de outras Comarcas do Estado participaram no final da tarde dessa quinta-feira (07) de uma reunião com o Conselheiro Felipe Locke, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Promovido pelo Tribunal de Justiça do Acre e pelo Ministério Público do Estado, o encontro foi conduzido pelo Desembargador-Presidente Adair Longuini, e pelo Procurador Geral de Justiça, Sammy Barbosa.

O membro do MP/AC procedeu com a abertura do evento, considerando que a reunião fortalece as instituições. “Esta é uma oportunidade ímpar de reunirmos membros do Judiciário e do Ministério Público em um mesmo espaço, e de comprovar que as nossas convergências e visões em comum superam em muito as nossas eventuais divergências e visões contrárias sobre determinados assuntos. Este encontro nos fortalece e é nesse contexto que temos a grande satisfação de receber Felipe Locke, que tem sido vetor de grandes decisões muito importantes para nossas instituições”, ressaltou.

Felipe Locke destacou o objetivo de sua visita ao Acre e do encontro com os membros do Judiciário e do Ministério Público. “O grande objetivo desse encontro é mostrar que o CNJ está ao lado da Justiça do Acre. E demonstrar também que a Magistratura e o MPE andam juntos na concepção de um objetivo comum, que é a feitura da Justiça. Prestamos contas, esclarecemos dúvidas e ressaltamos que o Conselho quer atuar cada vez mais ao lado dos tribunais”, explicou.

Membro do Ministério Público do Estado de São Paulo, ele apresentou os vários trabalhos desenvolvidos no âmbito do CNJ, como o Grupo de Trabalho para criação das ações coletivas (Portaria 198); o Cadastro Nacional das Condenações Cíveis por ato de Improbidade Administrativa em conjunto com a Corregedoria e o Grupo de Trabalho que deu origem à Resolução sobre Obras no Judiciário.

Ao encerrar a reunião, o Presidente do TJAC, agradeceu a visita do membro do Conselho Nacional de Justiça:
“Agradecemos a presença do Conselheiro, o qual queremos parabenizá-lo pelo seu brilhante trabalho no CNJ, onde vem desempenhando tão bem a sua função, defendendo com afinco a causa da magistratura. As portas do Tribunal e do Estado do Acre estarão sempre abertas para acolhê-lo”, disse.

E assinalou a contribuição do Órgão, voltado à reformulação de quadros e meios no Judiciário. “A despeito de possíveis críticas que sofra, estou convencido de que o CNJ vem dando um novo rumo ao Judiciário de todo Brasil, que está ganhando em celeridade, economia, prestação jurisdicional. Nesse sentido, o maior beneficiado no futuro será a sociedade. As portas do Tribunal e do Estado do Acre estarão sempre abertas para acolhê-lo”, concluiu Adair Longuini. 

 

 

 

Postado em: Notícias | Tags: Sem tags

Fonte: Publicado em 08/07/2011