TJAC e Fundação Getúlio Vargas lançam projeto de Modernização do Poder Judiciário do Estado

O Tribunal de Justiça do Estado do Acre deu início no final da tarde desta quinta-feira (04) àquele que deverá ser o maior projeto de modernização de sua história.

Pelo menos 150 pessoas, entre magistrados e servidores, prestigiaram o lançamento do plano de nova estrutura organizacional e administrativa, que será desenvolvido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV).

“É com alegria que o Tribunal recebe a equipe da Fundação para a realização desse importante trabalho nos próximos meses. Já tivemos uma excelente experiência de trabalho com a FGV, durante a realização do curso de MBA em Poder Judiciário destinado aos magistrados. Confiamos que este novo projeto, também a ser executado de modo conjunto, será igualmente exitoso”, declarou o Desembargador-Presidente Adair Longuini, na abertura da solenidade.

Os Desembargadores Samoel Evangelista (Vice-Presidente), Arquilau Melo (Corregedor Geral), Eva Evangelista (Presidente da Câmara Cível e Diretora da Escola Superior da Magistratura) e Pedro Ranzi (Presidente da Câmara Criminal), que integram a Corte de Justiça Acreana, também estiverem presentes no evento, que ainda contou com a presença do Juiz Marcelo Carvalho, Presidente da Associação dos Magistrados do Acre (ASMAC).

A equipe da FGV, responsável pelo projeto, é composta pelos professores Armando Cunha (Coordenador), Newton Fleury, Guilherme Sampaio, Aline Barranco e Sérgio Penna. Todos estiveram presentes e participaram da atividade.

Adair Longuini conclamou os magistrados e servidores a integrar essa etapa de mudança na Justiça Acreana: “Que todos participem e colaborem, para que tenhamos pleno sucesso neste processo de reestruturação e modernização administrativa, que o Tribunal atravessará durante os próximos nove meses”.

O professor Armando Cunha conduziu a apresentação do projeto, assinalando o significado desse novo momento na história do Judiciário do Estado. “É com muita honra que a FGV se junta ao Tribunal na missão de buscar uma gestão de excelência na Justiça. Temos a convicção de que a segurança jurídica decorre deste processo de transformação institucional, administrativa e gerencial. O projeto que iniciamos hoje, fruto do compromisso social e coragem institucional do Tribunal Acreano, pode ser expresso em uma única palavra – inovação”, afirmou.

Em seguida, o professor fez uma explanação sobre os aspectos gerais do projeto, indicando os desafios e benefícios de uma “inteligência administrativa institucional sustentada”, que considerou o conceito-chave da consultoria.

Com Doutorado em Gestão (Portugal) e Mestrado em Administração Pública (EUA), Armando Cunha discorreu sobre a necessidade de cada magistrado e servidor se empenhar daqui para frente na participação e contribuição com o processo, sob pena de o trabalho se tornar em vão. “Cada um aqui precisa entender que é responsável pelo sucesso do conjunto, caso contrário a consultoria não alcançará os resultados esperados”, concluiu.

Projeto de Consultoria

O professor Newton Fleury foi o responsável por descortinar o escopo do projeto de modernização a ser desenvolvido, detalhando todas as suas ações e etapas. Ele enfatizou que o grande foco será a melhoria dos processos internos administrativos e da estrutura organizacional, sendo que os resultados das atividades deverão garantir “maior eficiência, eficácia e efetividade da prestação jurisdicional”.

O professor destacou, ainda, a importância da participação contínua de magistrados e servidores na identificação dos problemas e das oportunidades de melhoria da gestão. Segundo ele, o projeto se valerá pricipalmente da experiência acumulada (aquilo que se sabe) e da visão prospectiva (aquilo que se pretende) dos magistrados e servidores da Justiça Acreana.

Como funcionará

Desburocratizar processos administrativos, padronizar rotinas, otimizar a aplicação de recursos financeiros e pessoais, ampliar a obtenção de produtos e resultados são alguns dos objetivos a serem perseguidos.

Dessa maneira, os técnicos da Fundação Getúlio Vargas irão ajudar a implantar uma nova estrutura organizacional e administrativa no Tribunal de Justiça Acreano. A idéia é tornar o Tribunal mais gerencial, de modo a atender a demanda por um serviço público de qualidade, a um custo adequado e justo para o orçamento atual da Justiça Acreana.

Para tanto, os consultores da Fundação irão ouvir cada área do TJAC e identificar os problemas de cada setor, tanto do ponto de vista estrutural como de pessoal. Após este levantamento situacional, a FGV irá apresentar uma proposta de estrutura organizacional e administrativa baseada na redução dos níveis hierárquicos e facilitação do fluxo de informações necessárias à tomada de decisão.  Com isso, espera-se alcançar mais qualidade e produtividade dos serviços públicos prestados à sociedade.

 

 

 

Postado em: Notícias | Tags: Sem tags

Fonte: Publicado em 05/08/2011