TJ homenageia Banco da Amazônia pelos 10 anos de apoio ao Projeto Cidadão

O Tribunal de Justiça homenageou no final de 2006, em solenidade no Buffet Espaço “A”, 40 personalidades que mais influência tiveram na realização do Projeto Cidadão, desde sua criação há dez anos. Como o presidente do Banco da Amazônia, o acreano Mâncio Lima Cordeiro, não pode participar da solenidade por problema de agenda, nesta sexta-feira pela manhã, o presidente do TJ, desembargador Samoel Martins Evangelista e o coordenador geral do Projeto Cidadão, desembargador Arquilau Melo estiveram na agência sede do Banco em Rio Branco para entregar a obra comemorativa da data a Mâncio Lima e ao superintendente regional, Andrias Sarkis. A solenidade de entrega foi realizada na própria agência do Banco. Arquilau Melo lembrou que nos 10 anos de atividades do Projeto, o Banco da Amazônia sempre esteve presente nas parcerias, financiando por parte do projeto. Lembrou também que Mâncio Lima Cordeiro participa do projeto desde a sua criação, quando ainda era secretário de finanças da prefeitura de Rio Branco, depois como diretor de Finanças do próprio Tribunal de Justiça e mais recentemente como presidente do Banco. “O Banco da Amazônia sempre nos auxiliou custeando a logística dos projetos. E não é barato. O custo médio de um Projeto Cidadão é de R$ 100 mil, podendo chegar a R$ 200 mil dependendo da dificuldade de acesso aos locais e sem o apoio de instituições como o Banco da Amazônia e sem o apoio do Mâncio e do Andrias, não teríamos conseguido os bons resultados que obtivemos”, disse Melo. Mâncio Lima Cordeiro agradeceu a homenagem ao Banco e disse sentir-se honrado em ter participado do Projeto desde o seu primeiro momento, ainda na prefeitura de Rio Branco e mais ainda podendo ampliar a responsabilidade social do Banco da Amazônia participando da parceria. “Me sinto feliz e honrando com essa homenagem do Tribunal de Justiça, que não é uma homenagem a mim, mas ao Banco da Amazônia pelo trabalho social importante que desenvolve nessa parceria do Projeto Cidadão”, disse Cordeiro. No encerramento da solenidade, o presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Samoel Martins Evangelista fez questão de destacar o fato de eu o Projeto Cidadão reduziu em mais de 40% a massa de sem-documento no Acre. Lembrou ainda que para quem vive na cidade, a expedição de um documento de identidade no seringal, um registro de nascimento, não tem grande importância, mas tem para quem lá vive. “Esta homenagem ao Banco da Amazônia, ao seu presidente e ao superintende regional, antes de tudo é um reconhecimento justo do apoio que o Banco tem dado ao Projeto, pois sempre que precisamos, pudemos contar com o apoio. Então, trata-se aqui de fazer justiça com um dos nossos grandes e fiéis parceiros nessa jornada. E fazemos essa homenagem não em nome do Tribunal de Justiça, mas em nome de uma massa de cidadãos excluídos que graças ao apoio de instituições como o Banco da Amazônia, têm garantido o seu direito de acesso à cidadania”, disse Evangelista.

Postado em: Notícias | Tags: Sem tags

Fonte: Publicado em 06/01/2006