Projeto Cidadania e Justiça na Escola: tem início fase de visitas ao Poder Judiciário

O Tribunal de Justiça do Acre recebeu nesta semana um total de 88 alunos da rede municipal de ensino, atendidos pelo Projeto Cidadania e Justiça na Escola.

Na última segunda-feira (9), os estudantes da Escola Álvaro Vieira da Rocha iniciaram essa fase de visitas à instituição, sendo que mais dez escolas irão conhecer a rotina de juízes e servidores do Poder Judiciário.

“Quero dizer que todos são muito bem-vindos a esta Casa, aproveitem da melhor forma este projeto que é tão importante para a nossa sociedade. Conheçam seus deveres e direitos, mas principalmente estudem muito, pois vocês são os cidadãos do futuro”, disse o desembargador Roberto Barros ao recepcionar as crianças.

O presidente do TJAC fez questão de sentar entre elas no Plenário da sede da instituição, quando passaram a conhecer a estrutura do 2º Grau – onde atuam os desembargadores.

A juíza Zenair Bueno acompanhou essa visita, juntamente com a direção e professores da Escola Municipal Álvaro Vieira da Rocha.

O diretor da Escola do Poder Judiciário (Esjud), que coordena o projeto no Estado, desembargador Francisco Djlama, também recebeu os alunos e fez uma orientação. “Queria fazer um alerta a todos vocês aqui presentes. Tenham cuidado com as drogas, se afastem delas, não aceitem quando lhes oferecerem. Obedeçam aos seus pais, procurem se dedicar aos seus estudos, seguir uma carreira, seja como juiz, como médico, como professor etc”, ponderou.

Nesta quarta-feira foi a vez da Escola Anice Adib Jatene visitar o Tribunal. Acompanhados pelo juiz Erick Farhat, eles foram recebidos pelo juiz-auxiliar da presidência, Cloves Ferreira.

Na ocasião, o magistrado falou aos estudantes sobre o trabalho desempenhado pelos desembargadores no segundo grau da Justiça Acreana, nas Câmaras Cíveis e Criminal, e no Tribunal Pleno Jurisdicional. Cloves Ferreira também chamou a atenção dos alunos para a importância dos estudos e da boa conduta moral. “Todos vocês podem ser aquilo que desejarem. Se quiserem um dia ser juízes, desembargadores, promotores, nada impede vocês de conseguirem isso, basta que vocês se dediquem verdadeiramente aos estudos; um dia vocês também podem estar aqui, sentados em algumas dessas cadeiras, o que vai determinar isso é o estudo, a dedicação de vocês a esse objetivo”, disse o juiz-auxiliar da presidência.

O aluno Felipe Freitas, de nove anos, da 4ª série da Escola Anice Adib Jatene, se disse satisfeito tanto com os ensinamentos obtidos durante o projeto quanto com a oportunidade de conhecer de perto o trabalho da Justiça. “Eu gostei muito porque a gente aprendeu mais sobre a vida, a função, o trabalho e o dia a dia dos juízes. Também aprendemos sobre as drogas, aprendemos que não devemos usufruir delas. A gente tem que escolher um caminho bom para seguir, não caminhos ruins porque sempre os caminhos ruins vão levar a coisas ruins. Eu gostei muito da palestra, do passeio, foi um passeio bastante interativo e que eu gostei muito”, disse o pequeno Felipe.

Visitas ao Judiciário

As atividades tiveram início com uma série de palestras de desembargadores e juízes nas escolas parceiras da rede municipal de ensino, seguidas por visitas dos estudantes às dependências do Poder Judiciário. O roteiro das visitas teve como ponto de partida as próprias escolas, de onde os alunos se dirigiram ao Fórum Barão do Rio Branco, com o apoio da Polícia Militar (PM).

As crianças, em companhia da juíza Zenair Bueno, visitaram as dependências das varas do Tribunal do Júri, onde foram recebidas pelos juízes Leandro Gross e Alesson Braz, que falaram sobre a importância do estudo para formação do cidadão de bem.

Em seguida, os alunos foram convidados a visitar o Palácio da Justiça – Centro Cultural do TJAC, onde, por meio de uma visita guiada pela servidora Ana Cunha, puderam conhecer um pouco da história da Justiça no Acre. As visitas também incluíram a Biblioteca Dr. Alberto Zaire, que funciona nas dependências do Centro Cultural.

A Esjud foi o último local visitado pelos estudantes. Lá eles assistiram a um vídeo educativo sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente.

O desembargador Francisco Djalma apresentou as crianças aos candidatos do curso de formação de magistrados e falou da importância do projeto em “fazer com que a sociedade, através do estudante, conheça o Judiciário e nada melhor do que começar com crianças”.

Reunião

Conforme reunião realizada no dia 30 de agosto com a desembargadora Regina Ferrari e os juízes participantes do projeto, após as visitas que se encerram no dia 27 de setembro, o Tribunal dará início a última etapa do projeto, que será a entrega e premiação das melhores redações dos alunos das escolas parceiras.

Os estudantes deverão escrever sobre temas relacionados à cidadania, como solidariedade, direitos e deveres dos cidadãos, coleta seletiva do lixo, entre outros. Além disso, uma escola será escolhida para promover um júri simulado que será assistido pelos alunos das outras escolas.

O Projeto Cidadania e Justiça na Escola foi implantado pela Esjud em maio de 2012 e está em sua segunda edição neste ano. O objetivo do projeto é contribuir para a conscientização das crianças sobre seus direitos e deveres, bem como melhorar a interação entre os membros do Poder Judiciário e a comunidade. O foco do trabalho é a formação de crianças, estudantes das escolas públicas, como agentes multiplicadores de saberes e práticas sociais.

Postado em: Notícias | Tags: Sem tags

Fonte: Atualizado em 22/06/2015