Processo de Virtualização: TJAC inicia terceira frente de trabalho na Comarca Cruzeiro do Sul

O Tribunal de Justiça do Acre iniciou a terceira frente dos trabalhos relacionados ao projeto de virtualização, a qual envolverá a Comarca de Cruzeiro do Sul. As outras duas frentes também já foram encetadas: uma que começou por Bujari, e segue em direção ao Vale Juruá; e outra que se iniciou por Senador Guiomard e vai em direção ao Vale do Acre.

O juiz-auxiliar da presidência, Laudivon Nogueira, acompanhado do diretor administrativo Michel Caires, e o diretor de informática do TJAC, Roberto Romanholo, viajaram no início desta semana até Cruzeiro do Sul para acompanhar os trabalhos na Comarca.

Eles foram recebidos pelo juiz Clovis Lodi, diretor do Foro, e demais magistrados que atuam nas Varas Cíveis, Criminais e Juizados (Cível e Criminal) da Comarca. Eles se reuniram com os servidores e discutiram os procedimentos de digitalização dos processos.

Laudivon Nogueira apresentou os objetivos da virtualização e as vantagens do novo sistema, destacando que esta é uma prioridade da atual administração do TJAC. O magistrado ressaltou ainda a importância da participação de cada servidor para que, ao final da gestão, todas as unidades judiciárias do Estado estejam virtualizadas.

Servidores

Os servidores de Cruzeiro do Sul demonstraram entusiasmo no encontro que selou o início das atividades de virtualização. Embora o processo ainda esteja no início, a diretoria de secretaria da 1ª Vara Cível, Andreia Mota, já faz um balanço positivo. “Precisamos oferecer um serviço mais eficaz, e isso está sendo proporcionado para nós, servidores, e também para a população com esse projeto. Teremos um ganho de tempo enorme. No começo é trabalhoso, mas valerá a pena. Estamos muito otimistas e satisfeitos com os resultados que temos obtido”, disse ela.

“O tempo que se gasta folheando os autos, anexando peças, acumulando pilhas de processos nas mesas, tudo isso acaba com a virtualização”, completou a auxiliar judiciária Lucimar Barbosa. Ela lembrou também que a digitalização dos processos vem proporcionando uma maior integração e troca de experiências entre os colegas da Comarca.

A virtualização trará avanços no âmbito do Judiciário acreano para juízes, servidores e, sobretudo, à população. Um exemplo disso é a agilidade na tramitação dos processos – que é bem superior ao trâmite normal (em papel). Também haverá maior facilidade dos cidadãos em buscarem a Justiça, já que os processos poderão ser acessados pela Internet.

Como não existirá mais a utilização do papel e haverá diminuição de espaços e recursos, a economia pode chegar a 40%, de acordo com um estudo realizado pelo Conselho Nacional de Justiça.

Aproximadamente 8 mil processos serão virtualizados pelos servidores, com a colaboração da Diretoria de Tecnologia da Informação do Tribunal, nas unidades que compõem a Comarca de Cruzeiro do Sul.

Postado em: Notícias | Tags:

Fonte: Atualizado em 15/07/2015