Presidente do TJAC realiza reuniões de trabalho com setores judiciais

O desembargador-presidente do Tribunal de Justiça do Acre, Roberto Barros, se reuniu nessa terça-feira (5) com os setores judiciais do 1º Grau (onde atuam os juízes) e do 2º Grau (onde atuam os desembargadores).

As reuniões têm como foco principal melhorar não apenas as condições de trabalho, mas principalmente os serviços que são oferecidos aos cidadãos.

Em um primeiro momento, Roberto Barros se reuniu com os secretários das Câmaras Cíveis e Criminais, das Turmas Recursais e com a diretoria judiciária, na sede do Tribunal.

Na ocasião, ele discutiu com os servidores possibilidades de aperfeiçoar as rotinas das unidades, uniformizar procedimentos e manter maior diálogo para garantir o alinhamento da gestão. “A modernização do Tribunal passa por vocês, que são fundamentais para que consigamos alcançar nossos objetivos. Precisamos lembrar que o fim do nosso trabalho é o cidadão e que nosso serviço é público e, por isso mesmo, precisa ser tratado com todo zelo e responsabilidade”, explicou o desembargador.

O presidente também falou sobre a importância das Metas do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) para este ano de 2013 (veja aqui). Elas foram definidas durante o VI Encontro Nacional do Judiciário, no final de 2012.

Reunião no Fórum

Mais tarde, ele participou de uma reunião no Fórum Barão do Rio Branco com os diretores de secretarias das Varas Cíveis, Criminais, Juizados Cíveis e Criminais, oficiais de Justiça da Central de Mandados (Ceman) e servidores do Cartório Distribuidor – todos atuando no 1º Grau.

Também estavam presentes o corregedor geral da Justiça, desembargador Pedro Ranzi, os juízes Laudivon Nogueira e Anastácio Menezes (este diretor do Foro da Comarca de Rio Branco) e servidores da Corregedoria.

Na ocasião, foi discutida a atualização da consolidação normativa judicial da Corregedoria Geral da Justiça (Coger), que agora é necessária em virtude da implementação do processo eletrônico no âmbito do Judiciário Estadual.

A consolidação das normas da Coger foi instituída pelo Provimento nº 03/2007 e precisa de atualização para acompanhar uma nova dinâmica de trabalho exigida com a virtualização de processos (digital) e a extinção do meio físico (papel).

Ao ouvir sugestões e pedidos dos servidores, Roberto Barros anunciou que será formada uma comissão com representantes de todas as áreas (cível, criminal, oficiais etc) para lidar especificamente com os assuntos relacionados às demandas das unidades judiciárias. “Vamos definir essa comissão e trabalhar juntos para encontrar soluções que sejam exemplo para o Brasil”, ressaltou.

Ele se referiu, por exemplo, à necessidade de se adaptar às mudanças provocadas pelo projeto de virtualização, que impõe um novo modelo de trabalho.

Ao final de sua fala, o desembargador-presidente enalteceu a relevância que magistrados e servidores assumem dentro da instituição. “O Tribunal só se fortalece na medida em que magistrados e servidores estão unidos pelo mesmo propósito de fazer um Judiciário melhor. Poderia fazer uma comparação e dizer que os juízes são o cérebro, os que planejam, e os servidores são o coração, aqueles que impulsionam, que fazem a coisa acontecer”, comparou Roberto Barros.

Corregedor geral da Justiça, o desembargador Pedro Ranzi disse que a presença da direção do Tribunal é indispensável para que se conheça o andamento dos trabalhos dentro das unidades. “Estamos aqui para dizer que somos presentes, que nos importamos com todos vocês.  Queremos encontrar as melhores soluções para os problemas que surgem e fazer com que todas as unidades vão bem”, considerou.

No final do encontro, ficou decidido que haverá outras reuniões de trabalho, das quais a comissão já fará parte, para definir quais alterações e mudanças devem ser feitas no texto que institui as normas da Coger.

Postado em: Notícias | Tags: Sem tags

Fonte: Atualizado em 26/06/2015