Izaura Maia é homenageada pela Academia Acreana de Letras

Na tarde de ontem, 09, ocorreu a Primeira Sessão Extraordinária Solene da Academia Acreana de Letras (AAL) no Palácio da Justiça, oportunidade em que a Presidente do Tribunal de Justiça do Acre, Desembargadora Izaura Maia, foi homenageada com o Diploma de Membro Benemérito da instituição.

  

Os acadêmicos foram recebidos pelos desembargadores Izaura Maia, Presidente, Pedro Ranzi, Vice-Presidente, e Eva Evangelista, Corregedora Geral da Justiça. Prestigiada pelo Diretor do Foro da Comarca de Rio Branco, Juiz Luiz Camolez, diretores, assessores e demais servidores do Judiciário, a atividade foi aberta pela Presidente do Tribunal e conduzida pelo Presidente da Academia, escritor Clodomir Monteiro, que se fez acompanhar dos imortais Jorge Araken, Clara Bader, Florentina Esteves, Robélia Fernandes, Luisa Lessa, Maria José Bezerra, Dalmir Ferreira, José Higino, Naylor George, Fátima Almeida e Claudemir Mesquita.

Ao iniciar a atividade, Izaura Maia disse que o evento traduz-se em motivo de grande honra para a Corte Acreana e lembrou a primeira visita dos membros da Academia ao Tribunal, ocorrida no dia 11 de novembro de 2007, por ocasião da comemoração dos 70 anos de fundação da instituição, e quando foi concedido ao TJAC o Diploma de Membro Mantenedor da AAL. 

Em agradecimento, nessa segunda visita, a Desembargadora repassou ao Presidente da AAL, Clodomir Monteiro uma cópia fotográfica impressa e digital da primeira edição da revista Hiléia, editada pela Academia no ano de 1967, e ressaltou a importância da Academia para a produção científica, artística e cultural do Estado do Acre. “A visita dos senhores é motivo de honra para o Tribunal de Justiça, especialmente porque o Palácio da Justiça sedia hoje, pela primeira vez, a realização de uma Sessão Extraordinária Solene da Academia”, frisou Izaura Maia.

Após assumir a condução dos trabalhos da Sessão, Clodomir Monteiro cumprimentou os presentes e agradeceu o apoio prestado pelo Tribunal às atividades desenvolvidas pela Academia. Em seguida, o escritor convidou a Direção do TJAC e os imortais presentes para fazer o descerramento solene do quadro com o diploma concedido ao Judiciário. 

Na seqüência, Clodomir Monteiro anunciou a homenagem que a Academia decidiu fazer a Izaura Maia pela sua carreira profissional em favor do desenvolvimento científico, artístico e cultural do Estado. “A Academia Acreana de Letras se sente honrada ao lhe prestar esta homenagem”, declarou Clodomir Monteiro. “Espero, inclusive, que os demais componentes do Judiciário também se sintam da mesma forma homenageados”, ressaltou, explicando que a honraria é o reconhecimento da Academia àqueles que têm se destacado na colaboração à Instituição.

  

O acadêmico Jorge Araken, desembargador aposentado do TJAC, fez a saudação de tributo a Izaura Maia: “Este momento é de muita satisfação para mim, de poder voltar à minha casa para homenagear minha ex-aluna, filha de um grande amigo e ilustre membro da Academia”, disse, se referindo ao saudoso advogado, jornalista e escritor Aloísio Macedo Maia.

Jorge Araken relembrou momentos importantes da vida pública da homenageada, os feitos da sua gestão à frente do Poder Judiciário e também agradeceu seu empenho e contribuição aos empreendimentos da AAL. “Por tudo isso, sua Excelência é merecedora desta homenagem”, afirmou. 

Os escritores Florentina Esteves e Claudemir Mesquita repassaram às mãos de Izaura Maia o Diploma de Membro Benemérito e a insígnia da Academia (boton para lapela). Posteriormente, o Presidente da AAL fez seu discurso de homenagem ao Judiciário acreano, intitulado “Símbolos, Letras, Justiça e Vida”.

Já na condição de Membro Benemérito da Academia, Izaura Maia agradeceu a distinção e os elogios feitos à sua pessoa e à forma como tem conduzido os destinos do Judiciário acreano. “Acredito que tudo o que é feito com muito amor e carinho, além de nos dar grande prazer, produz bons resultados”, enfatizou, creditando o êxito da atual administração à união da Corte acreana e à harmonia da equipe de gestão.

Ao final da Sessão, o Presidente da Academia pediu um minuto de silêncio em memória do professor e escritor, também membro da AAL, professor Josué Fernandes, falecido na semana passada.  O evento, que marcou o fim das atividades da Academia no ano de 2008, foi encerrado com um coquetel servido aos convidados no Café Jurídico do Palácio da justiça. 

Confira a Galeria de Imagens. 

 

Postado em: Notícias | Tags: Sem tags

Fonte: Publicado em 10/12/2008