Homenagem especial ao desembargador Lourival Marques de Oliveira

Em 1974, posse de Lourival Marques no cargo de desembargador do Tribunal de Justiça do Acre. A morte do desembargador aposentado Lourival Marques de Oliveira priva o Poder Judiciário do Acre de um de seus maiores representantes.

Os que comungam com sua visão de transformar o ofício da magistratura em sacerdócio, da qual foi intransigente defensor, estão de luto.

Até os que não tiveram a oportunidade de conviver diretamente com ele, lamentam a perda do homem público, mas também do advogado, juiz, desembargador e do professor Lourival Marques.

Aos 80 anos, ele faleceu nessa quinta-feira-feira (23), vítima de câncer, no hospital A.C. Camargo, em São Paulo, onde vinha se submetendo a tratamento de saúde.

 Mesmo em face do agravamento de sua doença, demonstrava vigor físico e entusiasmo pela vida. Fazia questão de comparecer aos eventos e solenidades da instituição e, não raras vezes, rememorava momentos que se confundem com a história do Acre.

Em dezembro do ano passado, Lourival Marques foi homenageado por ocasião da entrega da Cidade da Justiça de Cruzeiro do Sul, sua cidade natal. Ele compôs a mesa da sessão da Câmara Criminal, realizada pela primeira vez na Comarca.

Por meio de um discurso de tom memorialista, Lourival Marques descortinou um vasto painel do Judiciário Acreano, em que sintetizou um período de mais de 50 anos de história.

 Ele agradeceu pela homenagem e revelou o significado de ter escolhido abraçar a magistratura acreana como missão. “Foi a melhor coisa que fiz, a melhor decisão da minha vida, depois de casar com minha mulher, com quem estou há mais de 50 anos”, disse.

Manteve até o final de sua vida o bom humor como uma de suas principais características, algo que a pátina do tempo não conseguiu apagar.

Sinto-me com meu dever cumprido e minha maior contribuição para a sociedade são os meus filhos”. Disse o senhor de bom humor peculiar durante uma entrevista para as comemorações do Cinquentenário do Tribunal de Justiça, dias antes de viajar para São Paulo.

Manifestações de pesar

A direção do Tribunal de Justiça do Acre lamentou com tristeza nesta sexta-feira (24) a perda do magistrado, que inclusive fez parte da mesa de autoridades durante a solenidade de instalação do TJAC.

O desembargador-presidente Roberto Barros destacou que a importância que Lourival Marques assume não se limita ao Judiciário Estadual. “Ele foi um ícone para todo o Sistema de Justiça do Estado. Há de se ressaltar sua sólida formação jurídica e acadêmica, como professor da Universidade Federal do Acre (Ufac); como o primeiro Procurador Geral da Justiça do Acre (na época a função representava a chefia do Ministério Púbico Estadual e da Procuradoria Geral do Estado ao mesmo tempo); como juiz, desembargador e presidente deste Tribunal”, afirmou.

Roberto Barros declarou ainda que, em nome da Corte de Justiça Acreana, “manifesta o pesar e luto, presta as condolências à família e, ao mesmo tempo, homenagens a tudo quanto ele fez”.

A vice-presidente do Tribunal, desembargadora Cezarinete Angelim, exaltou as qualidades do magistrado como homem. “Lamento a perda de meu querido professor da Ufac, por quem passei a ter muito carinho. Ele era generoso, íntegro, de fortes valores éticos e princípios. Era um homem de família, mas também dedicado ao Judiciário e à sociedade. Foi um grande juiz de seu tempo, mas fez muitas coisas que ficarão na história. Lourival Marques é merecedor de todas as honras e homenagens”, considerou.

Para o corregedor geral da Justiça, desembargador Pedro Ranzi, “Lourival Marques ajudou a criar o Estado do Acre, a 1ª Constituição Estadual e a Universidade Federal do Acre.” Ele ressaltou também que o desembargador era “probo e amava sua terra”. “Era um exemplo de vida”, sintetizou Pedro Ranzi.

Trajetória

O desembargador Lourival Marques de Oliveira nasceu em 10 de dezembro de 1932, em Cruzeiro do Sul, Acre. Bacharelou-se em 1960, pela Faculdade Nacional de Direito do Rio de janeiro e, em 1963, foi o primeiro Procurador Geral da Justiça do Acre.

Em 16 de dezembro de 1964, foi nomeado para exercer a função de juiz de Direito substituto temporário da 1ª Seção Judiciária do Acre. Exerceu suas funções jurisdicionais nas Comarcas de Xapuri e de Rio Branco.

Tomou posse no cargo de desembargador no dia 7 de junho de 1974, sendo eleito para presidência do Tribunal de Justiça no biênio de 1981 a 1982. Aposentou-se no dia 25 de janeiro de 1983.

Lourival Marques era casado e pai de quatro filhos, um deles já falecido.

Postado em: Notícias | Tags:

Fonte: Atualizado em 25/06/2015