Construção do novo Fórum de Feijó é licitada

O Tribunal de Justiça do Acre realizará, no dia 23 deste mês, próxima sexta-feira, a abertura dos envelopes contendo as propostas das empresas que participam do processo licitação para construção do novo Fórum Dr. Quirino Lucas de Moraes, da Comarca de Feijó.

Segundo o Diretor Geral do Tribunal, Carlos Afonso Andrade, a obra tem um custo estimado em R$ 4.150 milhões e deverá ter início logo após o processo licitatório. Depois de concluído, o novo Fórum abrigará uma Vara Criminal, uma Cível, uma Vara da infância e Juventude, um Juizado Especial Criminal, um Juizado Especial Cível, um Tribunal do Júri com 100 lugares, Diretoria do Foro, Cartório Distribuidor, sala de arma, copa, bateria de banheiros masculino e feminino, garagem, bicicletário e estacionamento com capacidade para 50 veículos.

De acordo com o Diretor Geral, logo após a homologação do processo licitatório a Direção do Tribunal expedirá a ordem de serviço para que a empresa vencedora inicie imediatamente os serviços de construção do novo espaço, que deverão ser concluídos no prazo de sete meses.

"O novo Fórum foi projetado para atender as demandas do cidadão que procura o Judiciário no município de Feijó e será construído em obediência aos mais modernos padrões de Engenharia e Arquitetura", explica Carlos Afonso Andrade, acrescentando que a obra será custeada com recursos próprios do TJAC.

A área onde será erguido o novo Fórum possui 7.258,26 m2, fica localizada à Rua 21 de Dezembro, Setor 6, Quadra 25, Bairro Nair Araújo, e foi doada pela Prefeitura do Município, conforme a Lei Municipal nº 455/09, de 10 de junho deste ano, aprovada pela Câmara de Feijó.

A construção do novo Fórum, que ficará situado em área nobre da cidade, próximo ao futuro Parque do Açaí, é um sonho antigo dos servidores do Judiciário em Feijó e será concretizado pela atual Administração do TJAC.

O prédio proporcionará melhores condições de trabalho aos servidores da Justiça, além de mais conforto às pessoas que buscam os serviços do Poder judiciário.

Como forma de beneficiar o mercado de trabalho, o Presidente do TJAC, Desembargador Pedro Ranzi, vai recomendar à empresa que venha a vencer a licitação que utilize mão-de-obra local e que adquira os insumos no comércio do Município.

 

Leia mais:

Postado em: Notícias | Tags: Sem tags

Fonte: Publicado em 22/10/2009