Coger inicia correição na Vara de Órfãos e Sucessões de Rio Branco

A Corregedora Geral da Justiça, Desembargadora Eva Evangelista, enalteceu ontem a qualidade dos Magistrados e Servidores do Judiciário acreano. O elogio foi feito por ocasião da instalação dos trabalhos de Correição Geral Ordinária na Vara de Órfãos e Sucessões da Comarca de Rio Branco, cujo titular é o Juiz Luis Camolez.

Eva Evangelista afirmou que a redução da taxa de congestionamento nas unidades judiciárias do Acre, cujo estoque de processos em janeiro de 2007 era da ordem de 102 mil e atualmente está no patamar de 87 mil feitos, somente foi possível com a coesão de magistrados e servidores. “Sem a dedicação e abnegação de vocês essa realidade, com certeza, seria bem diferente”, enfatizou a Corregedora.

Ela voltou a lembrar o caráter pedagógico da Correição Geral Ordinária, cuja metodologia tem proporcionado resultados satisfatórios que colocam o Judiciário acreano numa situação confortável em termos de resolução de feitos. “Eu sonho e acredito que nós possamos ter cada vez mais uma Justiça célere e eficaz, que seja um referencial no país, que as pessoas sintam satisfação ao procurá-la”, afirmou Eva Evangelista.

Presente ao início dos trabalhos correicionais na referida unidade, o Vice-Presidente do Tribunal, Desembargador Pedro Ranzi, aproveitou para agradecer o empenho dos magistrados e servidores em prol do engrandecimento do Judiciário acreano. Ele elogiou o trabalho que vem sendo executado pela equipe da Corregedoria e afirmou que o maior patrimônio da Justiça do Acre são seus juízes e seus servidores. “Vocês são nosso maior patrimônio”, enfatizou.

Para o Presidente da Associação dos Magistrados do Acre (ASMAC), Juiz Laudivon Nogueira, também presente, ouvir dos dois desembargadores a afirmação de que a prioridade da atual gestão do Tribunal são seus Magistrados e seus servidores, serve para estimulá-los cada vez mais ao trabalho em busca da melhoria da prestação jurisdicional e do crescimento do Judiciário. “Eu, como a Desembargadora Eva, acredito que possamos fazer a diferença”, disse.

Na avaliação de Luis Camolez, os bons índices apresentados pela unidade que dirige devem ser creditados ao trabalho desenvolvido pelos servidores, que segundo ele não medem esforços para cumprir bem suas tarefas. “Aqui, nós trabalhamos com diálogo e união. Da escolha da cor da tinta da sala, à disposição dos móveis, tudo é resolvido em comunhão”, revelou o magistrado, para quem o segredo do sucesso é a pessoa nunca desviar de sua missão.

A Vara de Órfãos e Sucessões cumpre uma média de cem cartas precatórias por mês, cerca de mil e duzentas por ano e é uma das mais organizadas do Judiciário local. Os trabalhos de Correição na unidade serão concluídos no dia de hoje, 2.

 

Postado em: Notícias | Tags: Sem tags

Fonte: Publicado em 02/12/2008