CNJ e TJ iniciam treinamento do Projudi no Acre

Equipe do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) realizou treinamento no Tribunal de Justiça do Acre (TJAC) durante os dias 27 e 28 de novembro, objetivando habilitar técnicos e servidores da Justiça acreana para utilização do sistema de tramitação eletrônica de processos – o Projudi. O evento marca o início da implantação do Projudi no Estado, que ocorrerá juntamente com a instalação do Juizado de Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher na Comarca de Rio Branco.

O treinamento aconteceu no prédio onde será instalado o Juizado, em parceria com a Coordenadoria de Informática do Tribunal (COINF) e envolveu cerca de 10 profissionais que atuarão diretamente com o sistema. Os analistas Bruno Cunha e João Alberto, do CNJ, o Juiz de Direito Everton Penter Correa, do Judiciário do Paraná, e a assessora jurídica Bianca Gissoni Pinheiro, do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte, integraram a equipe de treinamento.

De acordo com o Juiz Everton Correa, nessa primeira etapa de treinamento o curso ofereceu aos participantes a oportunidade de obter uma visão geral e específica acerca do funcionamento do Projudi. Posteriormente, as próximas etapas estarão voltadas para o esclarecimento de dúvidas e avaliação do desempenho do sistema.

No dia 28, a Presidente do TJAC, Desembargadora Izaura Maia, acompanhada do Vice-Presidente, Desembargador Pedro Ranzi, da Corregedora Geral da Justiça, Desembargadora Eva Evangelista, e dos juízes Adair Longuini e Laudivon Nogueira, prestigiou o encerramento do curso. Na oportunidade, os técnicos do CNJ fizeram uma breve explicação e demonstração sobre o Projudi, sintetizando para a Direção do TJAC o conteúdo trabalhado ao longo dos dias de treinamento.

Em nome da Direção do Tribunal de Justiça, a Presidente Izaura Maia mais uma vez agradeceu a parceria e o empenho do CNJ no desafio de instalar no Acre o primeiro Juizado da Mulher utilizando o sistema Projudi no Brasil. “Agradeço a doação de equipamentos necessários para viabilizar este projeto e o fundamental treinamento oferecido pela equipe técnica do Conselho aos servidores e magistrados da Justiça acreana. Além disso, ressalto a constante disposição do Tribunal de Justiça do Acre para crescer e se desenvolver, enfrentando com bastante coragem os novos desafios, como este do projeto piloto do Juizado da Mulher virtual”, disse a Presidente ao final da sua visita.

Com a utilização do Projudi, a Justiça brasileira objetiva empregar agilidade ao trâmite de processos, viabilizando acesso instantâneo às informações jurisdicionais e reduzindo em até 70% o andamento das ações. Além disso, a economia operacional e os benefícios ao meio ambiente, por dispensar o uso de papel, são alguns outros benefícios proporcionados pelo novo sistema.

 

Leia mais:

TJ implantará Juizado da Mulher e Projudi no Acre, 29.11.2007

Postado em: Notícias | Tags: Sem tags

Fonte: Publicado em 04/12/2007