Projeto de Cultura e Paz nas Escolas alcança centenas de alunos em Cruzeiro do Sul

Iniciativa no Judiciário Acreano vai ao encontro do Mês Nacional do Júri (novembro), idealizado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Conscientizar os alunos de hoje, a fim de garantir uma sociedade mais harmoniosa amanhã. Contribuir ao bem comum no presente, para assegurar a pacificação da geração do futuro. Com essa visão, a atuação da Comarca de Cruzeiro do Sul tem feito a diferença no contexto local e acreano.

Centenas de alunos da rede estadual de ensino no município têm participado do Projeto de Cultura e Paz nas Escolas, o qual tem sido conduzido pela juíza de Direito Adamarcia Machado, titular da 1ª Vara Criminal.

A ação também vai ao encontro Mês Nacional do Júri (novembro), promovido pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Nesta primeira etapa participaram as escolas estaduais Craveiro Costa, Anselmo Maia, Hugo Carneiro, Dom Henrique Ruth e Maria Lima de Souza, sendo esta última nesta terça-feira (21).

Como funciona

Os estudantes se deslocam até a Cidade da Justiça local, e assistem às sessões do Tribunal do Júri, aprendendo não apenas sobre o rito processual, como funciona um julgamento de casos de homicídio; mas principalmente que crimes dessa natureza não ficam impunes diante dos olhos vigilantes da Justiça Acreana.

Os alunos do 3°ano do ensino médio da Escola Estadual Craveiro Costa, por exemplo, participaram da sessão de julgamento do processo nº 0006897-15.2015.8.01.0002, movido contra Zaqueu da Silva Araújo. Ele foi condenado a 12 anos por homicídio qualificado por motivo fútil.

“Tem sido muito gratificante essa experiência. Espero q esse seja um embrião de uma prática para o ano inteiro. Quero receber sempre para assistir aos júris alunos de todas as escolas de ensino médio de Cruzeiro do Sul. Sinto que estou plantando uma semente de cidadania junto aos nossos jovens e que eles levarão para vida essa experiência, com a certeza de que a justiça está atuando em nossa cidade”, explicou a juíza Adamarcia Machado.

Segundo ela, os estudantes lhe fazem diversas perguntas, como também à promotoria, e à defesa. Demonstram curiosidade, atenção, e também conhecem lições de respeito e civilidade.

Nesse sentido, a atividade se torna pedagógica, vez que além de explicar se o funcionamento do júri em si, são repassadas informações acerca da atuação do sistema de justiça, e das implicações de se infringir as leis no cotidiano.

A magistrada informou que pretende instituir  concurso para os alunos demonstrarem o aproveitamento dessa visita por meio de redação ou por alguma criação artística. Os melhores de cada escola ganharão um prêmio. Ela pretende ainda promover uma roda de conversa com os adolescentes.

Apoio importante

O Projeto tem recebido apoio importante da Secretaria Municipal de Saúde, do Programa de Apoio a Saúde da Família (NASF), do Programa de Saúde na Escola (PSE), e da Prefeitura Municipal de Cruzeiro do Sul.

As parcerias incluem o transporte e até a alimentação, em virtude do tempo do julgamento, cujas sessões demoram em média sete horas.

Postado em: Notícias | Tags:

Fonte: Publicado em 21/11/2017