Corregedoria-Geral da Justiça dialoga com MPAC sobre concurso para delegatários de cartórios

Atualmente o certame está com edital aberto para o pregão eletrônico e contratação a empresa que promoverá o concurso. Além disso, durante a videoconferência também discorrido sobre a Central de Processamento Eletrônico

Na manhã desta sexta-feira, 4, a Corregedoria-Geral da Justiça do Acre (Coger) apresentou aos integrantes do Ministério Público do Estado do Acre (MPAC) informações sobre o andamento do processo para concurso de delegatários para os cartórios extrajudiciais acreanos e também aproveitou para discorrer sobre a modernização dos serviços das secretarias judiciais com a implantação da Central de Processamento Eletrônico (Cepre).

O encontro foi conduzido pelo corregedor-geral da Justiça, desembargador Elcio Mendes, e contou com a participação dos juíze-auxiliares da Presidência do Tribunal de Justiça do Acre (TJAC) e da Coger, Leandro Leri Gross e Lois Arruda, assim como, do corregedor do MPAC, procurador Álvaro Pereira, dos promotores de Justiça, Wendy Hamano, Whashington Moreira, Alekine Santos e Nelma Araújo Melo de Siqueira.

Além disso, servidores do Judiciário que atuam na Corregedoria e também na Diretoria de Logística estavam presentes na reunião que ocorreu por meio de videoconferência.

O primeiro ponto tratado foi o andamento do concurso para delegatários que devem ocupar os cartórios extrajudiciais que estão vagos. No dia 20 de janeiro, a Presidência do TJAC publicou no Diário da Justiça Eletrônico lista dos cartórios vagos. O Estado possui 31 serventias extrajudiciais, das quais 11 estão Delegadas. Entretanto, outras 17 estão sob a responsabilidade de Interinos e 3 oficializadas, sendo responsabilidade do Poder Judiciário acreano.

O certame está na fase externa com edital aberto para contratar a empresa promotora do concurso. Conforme informado, este edital foi elaborado para que a vencedora do pregão eletrônico tenha credibilidade para iniciar e promover todas as fases do certame com eficiência e rapidez.

Depois, o juiz-auxiliar da Presidência do TJAC, Leandro Leri Gross, fez uma breve exposição sobre a Central de Processamento Eletrônico, Cepre. A Central será uma unidade que juntará os serviços e atos repetitivos realizados nas secretarias das unidades judiciárias em um local só com um desenho de trabalho otimizado para aumentar a produtividade.

Para o corregedor-geral da Justiça, desembargador Elcio Mendes, nessas realizações foi importante o diálogo e parceria com o Ministério Público, somados a elaboração de um plano de ação.

“Nós conversamos com vários tribunais e elaboramos nosso plano de ação. O plano de ação é importante para termos um desenho do que executamos. A Corregedoria atua reduzindo os custos, com uso de ferramentas tecnologias para gerenciar e atender de maneira mais eficiente às demandas sociais. Esses são trabalhos que estamos fazendo em parceria com a Corregedoria do Ministério Público do Acre. Então, registro meu agradecimento a todos vocês. É um trabalho de união, troca e diálogo”, agradeceu o desembargador.

O procurador Álvaro Pereira, que está liderando a corregedoria do Ministério Público estadual, ressaltou a eficiência do Judiciário acreano e também enalteceu a atuação da Corregedoria da Justiça.

“Esse trabalho de gestão com uma visão moderna, empresarial, otimizando o emprego dos recursos só aperfeiçoa o serviço público como um todo e inspira as outras instituições a trilhar pelo mesmo caminho. Tive a oportunidade de verificar o plano de ação da Corregedoria do Judiciário e vejo que está sendo cumprido, sobretudo, na modernização e muita coisa vai nos inspirar aqui na corregedoria do Ministério Público. Parabéns ao trabalho da Coger do Tribunal de Justiça”, comentou o procurador.

Emanuelly Silva Falqueto | Comunicação TJAC