Ato solene de hasteamento dos pavilhões nacional e acreano marca Dia da Justiça no TJAC

A solenidade foi marcada ainda pela assinatura do edital de chamamento para a publicação de textos informativos que formará a primeira edição da revista denominada “Resgatando a história do Tribunal de Justiça do Estado do Acre”.

A data 8 de dezembro que celebra o Dia da Justiça tem o objetivo de homenagear o Poder Judiciário brasileiro e todos os profissionais responsáveis em fazer com que a justiça seja cumprida com imparcialidade. Nesse contexto, para comemorar a data, o Tribunal de Justiça do Acre (TJAC) promoveu ato solene de hasteamento dos pavilhões nacional e acreano. O evento ocorreu no Palácio da Justiça, símbolo da história da Poder Judiciário do Acre.

Participaram da solenidade a presidente do TJAC, desembargadora Waldirene Cordeiro; o corregedor-geral da Justiça, desembargador Elcio Mendes; a decana da Corte de Justiça, desembargadora Eva Evangelista; desembargador Samoel Evangelista; desembargadora Regina Ferrari; o presidente do Tribunal Regional Eleitoral, desembargador Francisco Djalma; a presidente da Associação dos Magistrados do Acre, juíza Rosinete Reis; a desembargadora Izaura Maia, presidente do TJAC no biênio 2007-2009 e atual membro da Comissão de Gestão da Memória do Judiciário Acreano; e procurador-geral de Justiça adjunto, Sammy Barbosa, representando o Ministério Público do Acre.

Na ocasião, ao som do Hino Nacional, executado pela banda de Música da Polícia Militar, a desembargadora-presidente foi convidada ao hasteamento do pavilhão nacional e a decana Eva Evangelista para o hasteamento do pavilhão acreano.

Revista “Resgatando a história do Tribunal de Justiça do Estado do Acre”

A solenidade foi marcada ainda pela assinatura do edital de chamamento para a publicação de textos informativos que formará a primeira edição da revista denominada “Resgatando a história do Tribunal de Justiça do Estado do Acre”. A material tem a proposta de colher histórias, casos e causos sobre as vivencias e experiências de servidoras, servidores, magistradas e magistrados, que até hoje ainda estão apenas na oralidade e na memória de seus atores e personagens, como forma de eternizar a construção da história do Poder Judiciário Acreano.

Em seu pronunciamento, a desembargadora-presidente enfatizou que história fortalece a identidade do ser humano. “É isso que estamos celebrando hoje, neste Dia da Justiça, nossa história, nossa identidade, com ricos capítulos de muitos desafios, superações, conquistas e realizações na missão de garantir justiça para a paz social”, disse.

Para ela, voltar ao Palácio da Justiça neste dia é passear pelos caminhos da Justiça acreana com o sentimento de que muito já foi feito, e com a renovação do compromisso de que muito se tem a fazer. Ela agradeceu as servidoras, servidores, magistradas, magistrados, colaboradoras e colaboradores que ajudaram a construir cada capítulo, e aos que integram o Poder Judiciário do Acre atualmente, trabalhando em mais novas páginas.

“Peço e conclamo a todas e a todos que queiram escrever suas experiências no âmbito do Judiciário, essa é oportunidade de deixar registrado em nosso acervo institucional sua história. É preciso conhecer nosso passado, reverenciar o presente e planejar o futuro com o sentimento de gratidão a quem por aqui passou e deixou seu legado.  Por isso, temos muitas memórias a registrar”, finalizou.

O Dia da Justiça foi estabelecido através do artigo 5º do Decreto de Lei nº 1.408, de 9 de agosto de 1951. A data é considerada feriado regimental do Judiciário em todo o território nacional. Mesmo sendo oficializado apenas em 1951, o Dia da Justiça é celebrado desde 1940 em referência à imagem da Imaculada Conceição, padroeira da justiça.

Ana Paula Batalha | Comunicação TJAC