Desembargadora se reúne com FIEAC para discutir reinserção social de adolescentes em situação de vulnerabilidade

Em reunião realizada na quinta-feira, 19, instituições promotoras do Programa de Desenvolvimento Profissional e Inclusão Social pelo Trabalho (Radioativo) dialogaram sobre as ações realizadas e fizeram planejamento das próximas atividades

Instituições promotoras e participantes do programa Radioativo, entre elas o Tribunal de Justiça do Acre (TJAC), por meio da sua Coordenadoria da Infância e Juventude (CIJ), se reuniram na quinta-feira, 19, para tratar da ampliação e planejamento de ações do programa RadioAtivo. O programa de Desenvolvimento Profissional e Inclusão Social pelo Trabalho, conhecido pela sigla RadioAtivo, oferece qualificação profissional com objetivo de realizar a reinserção social de adolescentes e jovens em situação de vulnerabilidade, com educação e vagas de emprego.

Além dos integrantes do Judiciário, a desembargadora Regina Ferrari, coordenadora da CIJ, e da servidora Kariny Gonçalves, participaram do encontro o presidente da Federação das Indústrias do Estado do Acre (FIEAC), José Adriano, a diretora de Educação Profissional do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), Geane Reis, o diretor regional do Senai, César Dotto e o promotor de Justiça do Ministério Público do Acre (MPAC), Francisco Maia.

Com a reunião foi possível fazer uma avaliação das atividades do programa desenvolvidas anteriormente e planejado os próximos passos. O intuito é envolver mais empresas para aumentar as vagas de empregos ofertadas aos jovens que participam dos cursos profissionalizantes.

Fotografia de seis pessoas sentada em uma mesa de reunião conversando.

Envolvimento

O projeto atende adolescentes de todo o Acre, que são acompanhados pelas varas da infância e da Juventude, através de medidas de proteção, egressos ou em cumprimento de medidas socioeducativas. Os jovens recebem qualificação profissional para ampliar as oportunidades de inserção no mercado de trabalho e, então, as empresas parceiras do programa contratam esses adolescentes na modalidade jovem aprendiz.

A rede Arasuper, a Fieac, a Eletronorte, o Serviço Social da Indústria (Sesi), Serviço de Apoio às Micros e Pequenas Empresas (Sebrae), Uninorte e Lidertel são exemplos de empresas e instituições engajadas com o programa. Mas, outras organizações podem aderir ao Radioativo, ofertando as vagas de jovem aprendiz para os adolescentes encaminhados pelo programa.

Para o funcionamento e sucesso do programa RadioAtivo é essencial o envolvimento das empresas e instituições. Afinal a ação é uma articulação entre o empresariado acreano que com oportunidade de qualificação profissional e vagas de emprego atuam na reinserção de jovens e combatem as vulnerabilidades sociais que atingem esse grupo.

Foto: Comunicação Fieac

Emanuelly Silva Falqueto | Comunicação TJAC