Projeto Família Acolhedora fortalece rede de proteção a crianças em situação de risco

O cadastramento está disponível na Vara da Infância e Juventude de Rio Branco.

O Tribunal de Justiça do Estado do Acre, por meio da Coordenadoria da Infância e Juventude, tem fomentado o projeto Família Acolhedora, que é focado em crianças e adolescentes que estão em situação de vulnerabilidade. A ação é realizada em parceria com a prefeitura de Rio Branco e está focada em captar famílias que se voluntariem ao acolhimento temporário.

A desembargadora Regina Ferrari explica sobre o direito à convivência familiar: “uma criança que é afastada de sua família natural sofre menos quando vai a um lar provisório do que para um abrigo. Porque elas são vítimas de uma falta de estrutura, de problemas sociais e precisam de proteção”.

O acolhimento é temporário, perdura até que a situação jurídica da criança ou adolescente se resolva. “A adesão de famílias a esse serviço voluntário enfrenta, primeiramente, questões culturais, pois as pessoas conhecem apenas o acolhimento institucional”, explica Crispim Saraiva, gestor do Serviço de Acolhimento Familiar.

Contudo, o Família Acolhedora segue sendo apresentados em comunidades e igrejas, principalmente. No entanto, para reforçar a mobilização e o acesso de informações sobre o projeto, em dezembro será realizado o III Encontro do Acolhimento Familiar.

Como se tornar uma Família Acolhedora

Apesar do nome do projeto ser Família Acolhedora, não precisam ser muitas pessoas ou necessariamente um casal para participar e ajudar. O critério é que resida em Rio Branco e não possua antecedentes criminais.

Depois de cadastrada, a família passa por uma capacitação e receberá apoio de uma equipe multidisciplinar. Os interessados podem procurar a 2ª Vara da Infância e da Juventude, que está localizada na Cidade da Justiça, Conselho Tutelar ou a sede do Serviço de Atendimento Familiar. Mais informações pelo (68) 3225-4404.

Postado em: Galeria, Notícias | Tags:,

Fonte: DIINS Atualizado em 25/10/2019