Cidadania e Justiça na Escola alcançou cerca de dois mil alunos em setembro

Estimulando uma melhor compreensão sobre direitos e deveres, a ação educativa extraclasse influencia positivamente no aprendizado dos alunos.

O diálogo com estudantes é uma forma de trabalho preventivo contra situações de violência e injustiças. O programa Cidadania e Justiça na Escola tem essa proposta de colaborar na formação dos adolescentes, para se tornarem mais capacitados ao exercício de seus direitos e deveres.

No mês de setembro foram realizadas 27 palestras, em 17 escolas públicas de Rio Branco, que contou com a participação de 1.742 alunos. A atividade é desenvolvida pelo Tribunal de Justiça do Estado do Acre (TJAC), por meio da Coordenadoria da Infância e Juventude.

As unidades escolares já vivem uma nova fase do projeto, ou seja, em que há uma segunda visita do palestrante e o conteúdo da Cartilha da Justiça já foi trabalhado em sala de aula. Assim, tendo os alunos propriedade do assunto, a dinâmica se renova e eles são testados em jogos e até gincanas sobre os conhecimentos. Como ocorreu na Escola Estadual Álvaro Vieira da Rocha, localizada no bairro Conquista, com a participação da juíza de Direito Rosinete Reis.

A última palestra do mês foi realizada na Escola Estadual Theodolina Macedo, situada no bairro Placas. A desembargadora Regina Ferrari, coordenadora da Infância e Juventude, interagiu e até cantou com os estudantes. O principal foco da conversa foi sobre a cultura de paz.

Também se empenharam na atividade os magistrados: Zenice Mota, Shirlei Hage, Maha Manasfi, Thaís Queiroz, Isabelle Sacramento, Giordane Dourado, Fernando Nóbrega, Danniel Bomfim e Ivete Tabalipa.

Para cumprir o extenso cronograma, integram a atividade conselheiros tutelares, servidores do TJAC e a Polícia Militar, além de todas as escolas que aderiram ao programa pedagógico e a metodologia do projeto, que será concluído com um concurso de redação.

Postado em: Galeria, Notícias | Tags:,