TJAC participa de Sessão Solene em alusão ao Outubro Rosa na Fundhacre

O oncologista alertou que neste ano de 2021 foi identificado um caso de câncer de mama em um homem de Rio Branco

A desembargadora Eva Evangelista e a juíza-auxiliar da presidência Andrea Brito representaram o Tribunal de Justiça do Acre (TJAC) na Sessão Solene em alusão ao Outubro Rosa, realizada na Fundação Hospital Estadual do Acre (Fundhacre), nesta sexta-feira, dia 15.

Além de alertar os pacientes de que o câncer de mama é o mais incidente nas mulheres, a mobilização teve o intuito de estender esse cuidado aos profissionais da saúde, por isso até o fim do mês estão sendo disponibilizadas terapias integradas para as servidoras da instituição.

Com efeito, o presidente da Fundhacre João Paulo Silva foi muito aplaudido por sua equipe quando enfatizou sua preocupação em “cuidar de quem cuida”.  Em seu discurso, apresentou a parceria firmada com o TJAC para que sejam levados atendimentos à população carcerária de mulheres.

 

As tratativas para a promoção desse atendimento representa dignidade, saúde e garantia dos direitos humanos. Em razão disso, a decana da Corte acreana compartilhou sua experiência frente à Coordenadoria Estadual das Mulheres em Situação de Violência Doméstica e Familiar (Comsiv) e sua proximidade com a dor e vulnerabilidades, sensibilizando a todos sobre a defesa à vida.

Também participaram do evento a deputada estadual Maria Antônia e a vice-presidente da Associação Amigos do Peito, Rutilena Tavares, que convidou todos e todas a conhecerem e colaborarem com a associação, que atua há 11 anos acolhendo pessoas com diagnóstico de câncer.

O oncologista e gerente de Assistência, Rafael Carvalho, afirmou que 67% dos casos identificados no hospital em 2020 tiveram diagnóstico tardio, que consequentemente exigem um tratamento mais agressivo com quimioterapias, radioterapias e cirurgia, por isso explicou a importância dos exames periódicos e de rastreio. A partir do seu olhar técnico, expôs como a doença é heterogênea e age de forma diferente em cada mulher, gerando sofrimentos orgânicos, mas também emocionais e familiares.

Contudo, o encerramento desta atividade foi baseado na cura e esperança, pois o especialista realizou a entrega de um equipamento ao presidente da Fundhacre, que será utilizado no laboratório para os casos que necessitem de pesquisa do linfonodo sentinela. O recurso permitirá o aperfeiçoamento nos tratamentos feitos por mastologistas, proporcionando cirurgias menos agressivas.

Miriane Teles | Comunicação TJAC