Programa Radioativo é apresentado à Secretaria de Justiça e Segurança Pública do Estado

Representantes do Tribunal de Justiça, Federação das Indústrias, Ministério Público do Estado do Acre e Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial buscam apoio para que mais jovens sejam atendidos pelo programa

Na busca por mais parceiros para a ampliação do Radioativo – Programa de Desenvolvimento Profissional e Inclusão Social pelo Trabalho, que visa promover a inclusão de jovens em situação de vulnerabilidade social, egressos do Sistema Socioeducativo, por meio de capacitação e geração de emprego, o Tribunal de Justiça do Acre (TJAC), junto a Federação das Indústrias (Fieac), Ministério Público do Estado do Acre (MPAC) e Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), dialogou nesta terça-feira, 26, com a Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), no intuito de firmar parceria.

O secretário Paulo Cezar, acompanhado da delegada e coordenadora do Programa Acre pela Vida, Márdhia Pereira, recebeu em seu gabinete a juíza-auxiliar da Presidência do TJAC, Andrea Brito, o diretor-regional do Senai, Cesar Dotto, os promotores de Justiça  Maia Guedes e Vanessa Muniz.

A apresentação mostrou dados relacionados a violência no estado, assim como do sistema carcerário, e do Sistema Socioeducativo. Em seguida, foi feita uma apresentação sobre o Programa Radioativo, mostrando os resultados alcançados até agora. O projeto que conta com instituições e empresas parceiras, em 2020 beneficiou 40 participantes, 27 menor aprendiz e 13 bolsas de estudo. Em 2021 foram 34 jovens, 24 deles pelo contrato de jovem aprendiz e 10 com bolsa de estudo.

Recentemente o programa foi apresentado na Assembleia Legislativa do Acre (Aleac), em que os organizadores  solicitaram apoio dos parlamentares para a ampliação nos atendimentos. A proposta é que seja destinada recursos para atender mais 120 pessoas. O mesmo pedido foi feito ao secretário, para que o governo estude a possibilidade de apoiar a iniciativa. 

O secretário parabenizou a iniciativa e apontou outras ações realizadas pelo Governo que também mostram resultados positivos quanto a políticas públicas que apostam na educação e qualificação. Segundo ele, a proposta é trabalhar a ressocialização dentro dos presídios com o mesmo foco apresentado pelo programa Radioativo, ou seja, por meio de cursos e novas perspectivas para que o egresso saia, consiga um trabalho, e não volte ao mundo do crime. “Certamente vamos ver uma forma de somar esforços e atuar juntos, como parceiros nesta iniciativa tão importante”, disse.

A representante do TJAC, Andrea Brito, agradeceu a oportunidade de dialogar com o estado e reforçou que o programa Radioativo é uma das várias iniciativas do Poder Judiciário do Acre, com foco na inclusão, que tem sido fortemente defendido e trabalhado pela atual administração, presidida pela desembargadora Waldirene Cordeiro.

O promotor de Justiça, Maia Guedes, reforçou que a proposta do programa Radioativo precisa ser trabalhada como política pública, apostando na educação. Cesar Dotto também falou da importância do trabalho em rede entre os parceiros, para que mais jovens possam receber qualificação, treinamento com foco em oportunidades existentes para terem um trabalho e uma nova perspectiva de vida.

Imagens: Comunicação Sejusp

Andréa Zílio | Comunicação TJAC