Coordenadoria da Infância e Juventude realiza reunião técnica com equipe do Educandário Santa Margarida

Objetivo da visita foi discutir a elaboração dos Planos Individuais de Atendimento, um documento feito por profissionais da assistência social e psicologia para ser anexado as ações judiciais envolvendo crianças e adolescentes

Na quinta-feira, 19, magistradas da Coordenadoria da Infância e Juventude (CIJ) realizaram reunião com equipe de psicólogas e assistentes sociais do Educandário Santa Margarida para discutirem a elaboração dos Planos Individuais de Atendimento (PIA), um parecer técnico feito que subsidia juízes e juízas nas decisões dos processos com crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade.

Com isso, espera-se trazer mais celeridade nos julgamentos dos casos, afinal, o PIA é essencial para decidir os rumos dessas ações. Por isso, a desembargadora Regina Ferari, coordenadora da CIJ, e a juíza-auxiliar da presidência Andréa Brito dialogaram com a equipe da instituição.

Fotografia da juíza de Direito Andréa Brito à esquerda e à direita a desembargadora Regina Ferrari segurando bebês no colo. Não aparece o rosto dos bebês. Ao fundo tem berços esparramados e um armário.

Durante o encontro ainda foram verificadas as condições e necessidades da instituição. Além disso, as integrantes do Judiciário acreano aproveitaram a oportunidade para visitar as crianças acolhidas. Atualmente o Educandário atende 35 crianças e adolescentes, mas tem capacidade para receber até 32 menores.

Coordenadoria da Infância e Juventude

O acompanhamento regular das casas de acolhimento, como o Educandário na capital, o desenvolvimento e apoio a programas sociais, como o “Família Acolhedora”, são algumas das frentes de atuação da Coordenadoria da Infância e Juventude do Tribunal de Justiça do Acre (TJAC). Esse trabalho procura garantir celeridade nos julgamentos dos processos, como também articular parcerias para proteção dos direitos das crianças e adolescentes.

Para quem tiver interesse em conhecer os programas, projetos e se comprometer com esse trabalho, basta entrar no site do Tribunal de Justiça e procurar a aba da CIJ. A Coordenadoria tem vários projetos ativos, realizando ações com crianças, desde à 1ª Infância até trabalho de reinserção de jovens e adolescentes que passaram por institutos socioeducativos.

Emanuelly Silva Falqueto | Comunicação TJAC