TJAC realiza atividade para marcar Dia Nacional de Prevenção à Hipertensão

Palestra de enfermeira do Centro Médico do TJAC  foi  realizada por videoconferência; profissional falou sobre riscos e cuidados com a hipertensão arterial   

O Tribunal de Justiça do Acre realizou, por meio da Gerência de Qualidade de Vida (GEVID), na tarde desta quinta-feira, 26, uma palestra por videoconferência para marcar o Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão Arterial.  

A atividade, que teve como facilitadora a enfermeira do Centro Médico do TJAC, Alessandra Araújo, foi realizada com objetivo principal de conscientizar colaboradores, magistrados, magistradas, servidores e servidoras quanto aos riscos, cuidados e quanto à necessidade de prevenção da hipertensão arterial.

A presidente do TJAC, desembargadora Waldirene Cordeiro, participou do evento, realizado pela plataforma Google Meet. Ao realizar a fala de abertura, a desembargadora-presidente destacou o impacto que a popularmente dita “pressão alta” tem não somente no quadro funcional da instituição, mas na vida dos magistrados e servidores. “A hipertensão é apontada como fator de risco e impacta diretamente na saúde do trabalhador. Precisamos reduzir esse índice. Queremos conscientizar a todos, nem que seja para os cuidados básicos. Eu peço a todos que se cuidem!”, disse a presidente do TJAC.

O coordenador do Comitê da Saúde, desembargador Luís Camolez, também ressaltou a dimensão do impacto da hipertensão arterial entre magistrados e servidores: “atualmente, a maior causa de afastamentos é por causa da hipertensão, mas a palavra de hoje é conscientização. Os nossos facilitadores estão capacitados para o assunto e prestar atenção para não desprezar nenhum detalhe. Isso é muito importante. Parabenizo a equipe pela atividade e também a presidência por não medir esforços para os serviços da GEVID”, enfatizou o desembargador Luís Camolez.

O médico Fabrício Lemos, que esteve na atividade como convidado, explicou que a hipertensão pode ser dividida em três estágios, definidos pelos níveis de pressão arterial. O médico, que fará uma palestra no dia 28,  salientou que apesar de ser uma doença silenciosa, ou seja, não apresentar sintomas, a pressão alta pode ser um fator de risco para diversas doenças. “Se não for controlada, pode sobrecarregar o coração e também acelerar o processo de obstrução arterial, conhecido como aterosclerose”, alertou Fabrício Lemos.

A palestra

Durante a palestra, a enfermeira Alessandra Araújo aconselhou todas as pessoas a conhecerem o nível de sua pressão arterial com a supervisão de um profissional de saúde.

Na oportunidade, a profissional explicou sobre os fatores de risco, hábitos a serem evitados, causas, propensão genética, sintomas e também sobre o acompanhamento que as pessoas hipertensas devem ter.

A enfermeira da GEVID, que também tirou dúvidas dos participantes, falou ainda sobre o aspecto mais perigoso da hipertensão: seu caráter silencioso, uma vez que muitas pessoas ignoram sintomas e descobrem a doença somente em uma crise.

Assessoria | Comunicação TJAC