Judiciário do Acre distribui chocolates para crianças e adolescentes acolhidos em abrigos

Ações aconteceram no feriado de Páscoa e tiveram objetivo de levar carinho e cuidado à jovens que estão passando por alguma situação de vulnerabilidade

Datas comemorativas são momentos de confraternização, encontro e socialização. Esse ano, por causa da pandemia, as ações precisaram ser limitadas para proteção da saúde. Mas, mesmo assim, e tomando todos os cuidados necessários, membros do Poder Judiciário do Acre por meio da Coordenadoria da Infância e Juventude (CIJ) visitaram abrigos, casas de acolhimento para levar carinho e chocolates às crianças, adolescentes e jovens no feriado de Páscoa.

No domingo de Páscoa, 3, a desembargadora-presidente do Tribunal de Justiça do Acre (TJAC), Waldirene Cordeiro, a coordenadora da CIJ, Regina Ferrari, juntamente com a juíza-auxiliar da presidência, Andréa Brito, o pastor Josimar Lima e alguns servidores visitaram a Casa Dr.ª Maria Tapajós, Casa Sol Nascente, Educandário Santa Margarida e a unidade feminina do Instituto Socioeducativo do Estado do Acre (ISE).

Mas, na quarta-feira, dia 31 de março, a equipe da Vara Cível da Comarca de Sena Madureira, coordenada pela juíza de Direito Adimaura Souza entregaram ovos de chocolate e um cavalo de balanço para as crianças no Educandário da cidade.

Cuidado com outro

Ovos de chocolate, caixas de bombons foram distribuídos para os jovens durante as visitas feitas na capital. Além disso, em cada parada foi realizado momento de reflexão para explicar sobre a mensagem da Páscoa.

Consciente de que o sentimento de solidão e até de abandono é forte nesses espaços, especialmente, em datas comemorativas, a desembargadora-presidente do TJAC fez questão de demonstrar esse cuidado com o outro.

“É muito gratificante participar desse momento levando amor a essas crianças e adolescentes. A Páscoa é sinônimo do renascimento, da renovação. É data para refletirmos e fortalecer nossa esperança nos dando força para seguirmos em busca dos nossos ideais”, comentou a presidente.

Para a coordenadora da CIJ, desembargadora Regina Ferrari, as visitas aproximam o Judiciário das crianças e adolescentes. “O trabalho nos mostrou que juntos, além de garantir a proteção para os acolhidos, podemos proporcionar outras formas de cuidado sem ser apenas o acolhimento. Que todos possam relembrar da mensagem que Cristo nos deu, quando ressuscitou. Sabemos da dificuldade de cada um nesses abrigos, mas nunca podemos perder a esperança de dias melhores”, disse Ferrari.

A juíza de Direito Adimaura Souza também ressaltou a importância do cuidado voltado as crianças que vivenciam situações de vulnerabilidade. “Para estas crianças – muitas das quais sequer conhecem o ovo da Páscoa e seu significado ou mesmo sabem quem é Jesus Cristo-, os ovos da Páscoa, aliados ao cavalo marinho de balanço, foram um momento de doçura, de carinho, numa vida, que, apesar de pequena, já é tão sofrida, trazendo a eles um pouquinho do amor de Deus por cada um de nós”, falou a magistrada.

Assessoria | Comunicação TJAC