Projeto Cidadão oficializa a união de 100 casais na Semana do Judiciário no Juruá

Cerimônia teve a participação de magistradas e magistradas, além de autoridades que estão na Comarca de Cruzeiro do Sul participando da Semana do Judiciário no Juruá

O sim conjunto que marca a união de casais a cada cerimônia do Casamento Coletivo, realizado pelo Projeto Cidadão, ecoou no Teatro dos Náuas na noite de quarta-feira, 30. Como uma das ações da Semana do Judiciário no Juruá, 100 casais oficializaram a união. 

Alguns decidiram ir a caráter, os homens de terno e as mulheres de vestido branco, mas o mais importante era o sentimento presente em todos os casais, que é o da realização em ter o documento que oficializa a união dos mesmos.

A presidente do Tribunal de Justiça do Acre, desembargadora Waldirene Cordeiro, acompanhada do vice-presidente, desembargador Roberto Barros, e do corregedor-geral da Justiça, desembargador Elcio Mendes, prestigiou a cerimônia coordenada pela desembargadora Eva Evangelista, que está à frente do projeto.

A diretora da Escola do Judiciário (Esjud), desembargadora Regina Ferrari, também esteve presente, bem como magistradas e magistrados, e os procuradores de Justiça do Ministério Público do Estado do Acre, Celso Jerônimo e Rita de Cássia, que participam de toda a programação da Semana do Judiciário no Juruá.

Nesta edição, o Casamento Coletivo teve o apoio da Prefeitura Municipal de Cruzeiro do Sul, e a cerimônia também contou com a presença do prefeito Zequinha Lima e a primeira-dama, Lurdinha Lima.

A presidente do TJAC, desembargadora Waldirene Cordeiro, falou da emoção de mais uma edição do projeto. “O Projeto Cidadão é um projeto já consagrado, e seu ápice, ou seja, o seu melhor momento é quando ocorre o Casamento Coletivo. Hoje em Cruzeiro do Sul são cem casais muito felizes. A alegria deles aqui era quase palpável nesse momento tão significativo para todos eles. É uma satisfação o Poder Judiciário estar participando desse grande momento na vida dos casais”, disse.

A coordenadora do Projeto Cidadão, desembargadora Eva Evangelista também falou da satisfação na realização do Casamento Coletivo na Semana do Judiciário no Juruá.

“O Casamento Coletivo, eu digo que é o ápice, o cume do Projeto Cidadão. Ele representa para as pessoas a realização de seus sonhos, de aspirações. São pessoas que estão no aguardo, porque acreditam que o Projeto Cidadão, que o Casamento Coletivo virá. Por isso é muito importante que ocorra esse reconhecimento da população de um programa social que existe há 27 anos”, ressaltou.

Ataigila Aparecida e Jamerson Silva formaram um dos cem casais. Eles se conhecem na adolescência, aqueles relacionamentos que nasce e floresce das amizades de escola. Felizes com a celebração, os recém-casados revelaram que estavam apenas esperando a primeira oportunidade de oficializarem a união.

“Já fazia muito tempo que a gente estava na nossa relação e foi na primeira oportunidade de oficializar a nossa união, eu comuniquei ele que estava tendo essa oportunidade. E ele já vinha falando que tínhamos que casar. Então, eu comuniquei ele e ele aceitou”, contou a noiva.

Antes da cerimônia, conduzida pelo juiz de Direito Erik Farhat, o noivo Robson Lima Acem, que é músico,  tocou uma música para Marta Santos de Souza. A declaração de amor emocionou todos os presentes.

Nesse clima de alegria estava o casal, que subiu ao palco representando os noivos com mais idade no evento, Maria Lucilene e Francisco Lopes. Juntos a um ano, o noivo era só sorrisos e quando perguntados porquê oficializarem a união no Casamento Coletivo, a noiva foi rápida na resposta, “porque era o meu sonho”.

O Projeto Cidadão, bem como o Casamento Coletivo existe há 27 anos, e já realizou a união de mais de 52 mil casais.

Andréa Zílio e Emanuelly Falqueto | Comunicação TJAC