Desembargadoras e juízes prestigiam comemorações pelos 15 anos da Escola Judiciária Eleitoral

Encontro das autoridades combinou a busca permanente pelo conhecimento com o ambiente festivo pela celebração da criação do estabelecimento de ensino.

As desembargadoras Denise Bonfim e Regina Ferrari participaram nesta semana das comemorações pelos 15 anos da Escola Judiciária Eleitoral (EJE) “Evandro Marques de Sousa”. O evento aconteceu no auditório do Ministério Público Federal (MPF), sendo também prestigiado por juízes de Direito, e servidores dessas instituições.

As presidentes das Cortes de Justiça Estadual e Eleitoral, respectivamente, já foram diretoras da Escola, bem como o juiz de Direito Cloves Ferreira, de igual modo presente na solenidade. O procurador do Estado Gerson Vilela, e a advogada Alexandrina Melo, também já estiveram à frente da EJE.

À programação compareceram outras autoridades, a exemplo da vice-governadora Nazareth Araújo, do procurador do Estado, Edson Manchini, e a deputada estadual Eliane Sinhasique. Debates, palestras e capacitação, caminharam juntas à ambiência de festividade, com a participação especial do advogado e ex-ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Henrique Neves, e do coach Marcos Acras.

A desembargadora-presidente Denise Bonfim felicitou a desembargadora Regina Ferrari, bem ainda as outras autoridades que já conduziram a Escola, enaltecendo a sua história, e estimando pelo sucesso contínuo sucesso do estabelecimento de ensino.

Já a presidente do TRE-AC, desembargadora Regina Ferrari, considerou que essas atividades encerram um caráter pedagógico para a população. “A Reforma Eleitoral é muito importante para o país, mas a verdadeira mudança ocorre com a consciência cívica dos cidadãos. A EJE tem esse papel importante de formar cidadãos conscientes”, afirmou.

O diretor da Escola Judiciária Eleitoral e juiz membro da Corte, Antônio Araújo, por sua vez, ressaltou a missão institucional da Justiça Eleitoral, a qual define como “a principal responsável pela democracia no País”, sendo fomentadora da “qualidade no serviço prestado à sociedade brasileira, pois é responsável pela tarefa educacional”.

Ainda durante o evento, gestores, professores e alunos que participam do Programa Eleitor do Futuro fizeram uma avaliação sobre as atividades desenvolvidas pela EJE nas escolas, apontando os resultados positivos obtidos no ambiente escolar.

A Escola Judiciária Eleitoral do Acre Evandro Marques de Sousa, nome de um servidor do TER-AC foi a segunda EJE criada no Brasil, pela Resolução TRE n. 203, de 3 de outubro de 2002.

De acordo com a Instituição, a função da EJE é oferecer capacitação continuada e eventual dos magistrados, servidores e demais estudiosos do Direito Eleitoral. Ao mesmo tempo, desenvolver ações institucionais de responsabilidade social, projetos de educação para a cidadania política, pesquisa, estudo e produção científica na área eleitoral.

(Com fotos da Assessoria de Imprensa do TRE-AC)

Postado em: Notícias | Tags:

Fonte: Atualizado em 09/10/2017