Programa Justiça Comunitária recebe apoio do deputado federal Leo de Brito

Parlamentar visitou a desembargadora Eva Evangelista, coordenadora geral da iniciativa de relevância social e cidadania.

A desembargadora Eva Evangelista recebeu a visita do deputado federal Leo de Brito. Apesar de breve, o encontro foi relevante na medida em que assumiu o caráter institucional das tratativas de interesse do Tribunal de Justiça do Acre e da sociedade.

O parlamentar foi convidado pela coordenadora geral do Programa Justiça Comunitária para ser parceiro da ação em Xapuri.

Eva Evangelista apresentou detalhes da iniciativa, e a sua relevância social àquele município, sobretudo pela mediação comunitária de conflitos e a presença do poder público nas comunidades mais carentes.

Ele se comprometeu em ajudar com articulação junto à Prefeitura, e também com emenda de sua autoria, para tornar viável a realização do Programa.

Outros encontros deverão acontecer, com vistas à consolidação da parceria.

O Programa Justiça Comunitária

O Programa Justiça Comunitária é desenvolvido pelo Tribunal de Justiça Acreano na cidade de Rio Branco desde 2002, inicialmente em convênio com o Ministério da Justiça.

O objetivo principal do programa é proporcionar às pessoas a educação para o Direito, mediação comunitária de conflitos e o fortalecimento das redes sociais nas comunidades carentes em que o programa atua.

Em 2006 passou a ser executado em parceria com a Prefeitura Municipal, com atendimento em 35 bairros carentes, divididos em seis regionais.

Os agentes comunitários de justiça e cidadania trabalham diariamente nesses bairros, atuando na resolução de pequenos conflitos, de maneira rápida e amistosa, por meio da mediação e conciliação.

No ano de 2009, pela primeira vez, o mesmo trabalho realizado com sucesso na Capital começou a ser colocado em prática em outros dois municípios do Estado – Capixaba e Epitaciolândia, onde se realizou uma experiência piloto para orientar a expansão do programa para todo o Estado do Acre. Outros municípios, como Acrelândia, Bujari e Plácido de Castro também foram contemplados.

Atualmente também Brasiléia e Cruzeiro do Sul já contam com núcleos do Programa Justiça Comunitária.

Assessoria | Comunicação TJAC