Biblioteca Compartilhada do TJAC completa três meses de funcionamento no Dia Nacional do Escritor

Projeto tem objetivo de incentivar o hábito da leitura, mas só sobreviverá se as pessoas participarem e doarem livros de literatura, revistas e gibis.

Completando três meses e um dia de funcionamento hoje, dia 25 de julho, que é marcado pelo Dia Nacional do Escritor, o Projeto Biblioteca Compartilhada, idealizado pelo Núcleo Socioambiental Permanente do Poder Judiciário Acreano (Nusap), visa estimular o hábito da leitura por meio da troca, doação e compartilhamento de livros.

Além disso, o projeto, coordenado pela corregedora-geral da Justiça Estadual, desembargadora Waldirene Cordeiro, estimula as pessoas a não jogarem livro no lixo e compartilharem o conhecimento, doando obras literárias, revistas e gibis.

Junto aos pontos de coleta, localizados no prédio sede do Tribunal de Justiça do Acre (TJAC), nos halls de entrada dos Juizados Especiais, Fórum Criminal e Fórum Barão do Rio Branco, também estão as caixas de madeira fixadas nas paredes desses locais contendo diversas possibilidades de aventuras, romances e sonhos, por meio das páginas dos livros.

Esqueça com um bilhetinho (ou Leia e doe)

Qualquer servidor ou pessoa que frequenta o Judiciário Acreano pode participar do Projeto. Não é necessário deixar um livro para poder pegar uma obra. Mas, é importante que haja doações contínuas para a manutenção da Biblioteca Compartilhada.

“O Projeto incentiva o encontro do Judiciário com a sociedade através da leitura, da troca de conhecimento. Então, se a pessoa não tiver tempo para doar os livros nos pontos de coleta, esqueça a obra nas unidades judiciárias com um bilhetinho dando o material para a Biblioteca Compartilhada”, disse Valcildia Amorim servidora do TJAC, que atua junto ao Nusap.

Da leitura à escrita

Um dos principais benefícios da leitura é a melhoria da habilidade de escrita. Por isso, a importância dessas ações. Inclusive, alguns escritores acreanos até doaram livros para a Biblioteca Compartilhada, obras de histórias, poesias que estão circulando pelas unidades judiciárias na Capital.

Assim, neste dia, que homenageia os escritores e foi instituído, em 1960, pelo presidente da União Brasileira de Escritores, João Peregrino Júnior e o vice-presidente, o escritor, Jorge Amado, o Poder Judiciário Acreano relembra a importância de cultivarmos esse hábito tão saudável.

Postado em: Galeria, Notícias | Tags:

Fonte: Atualizado em 25/07/2018