Casamento Coletivo: TJAC realiza sonho da união civil de 651 casais em Cruzeiro do Sul

Número recorde demonstra importância da iniciativa; objetivo é promover cidadania e maior aproximação entre Judiciário e população.

“Para mim é um momento muito importante, único, pois casamento é só uma vez, pra sempre”, disse Maria de Fátima Feitosa, de 34 anos. “Foi muito difícil chegar aqui, e eu não teria condições de pagar, se não fosse o Tribunal, não realizaria algo que eu já queria há muito tempo”, afirmou Francisco Gomes da Silva, 42 anos.

As frases se fundem para expressar o sentimento do casal – que encerra um significado de alegria e satisfação estendido a outros 650 noivos -, os quais disseram SIM no último sábado (30/09), durante o Casamento Coletivo de Cruzeiro do Sul.

Acometido pelo vírus da paralisia infantil, que lhe causou sequelas nas pernas, impedindo-o de andar, Francisco Gomes conheceu Maria de Fátima ainda na juventude. “Não tive preconceito algum, nem vergonha dele. Pelo contrário, me orgulho da pessoa que ele é, corajoso, esforçado, um vencedor. E digo mais, aonde ele for, eu vou também”, ressalta convicta.

“Eu me sinto um homem normal e perfeito”, resume ele de modo assertivo. Prova disso é que o casal já tem dez filhos, todos plenos em saúde e vigor, como o pai na prática é.

A solenidade

Ao promover o Casamento Coletivo, o Tribunal de Justiça do Acre estende à comunidade a mão amiga da cidadania e da responsabilidade social.

O evento foi bastante concorrido, tendo no dispositivo de honra as presenças da desembargadora Eva Evangelista, representando a Presidência do TJAC; do juiz de Direito Erick Farhat, titular da 1ª Vara Cível da Comarca local; da promotora de Justiça Manoela Canuto, representando o Ministério Público Estadual; do prefeito de Cruzeiro do Sul, Ilderlei Cordeiro; e do presidente da Câmara Municipal, Romário Tavares.

A vice-prefeita de Mâncio Lima, Angela Valente; o presidente da OAB-Seccional Acre, Tota Filho; e o delegatário Cleber Correa (do Ofício do Registro Civil das Pessoas Naturais) também prestigiaram a solenidade.

O Ginásio Poliesportivo Jader Saraiva tornou-se pequeno para abrigar tamanho número de pessoas e, principalmente, para conter a ambiência festiva e familiar.

A organização de um evento desse porte deu trabalho à equipe do Projeto Cidadão, haja vista o número recorde de casais (651), contra 550 (em 2016) e 500 (em 2015). Mas o esforço e dedicação dos profissionais suplantaram as dificuldades.

Discursos e cerimônia civil

Sentindo-se honrada e privilegiada por representar a desembargadora-presidente Denise Bonfim na ocasião, a desembargadora Eva Evangelista destacou qual é a mensagem do Tribunal de Justiça Acreano.

“Levar os melhores serviços às comunidades mais distantes, ou que mais precisam, estabelecendo maior aproximação entre o Poder Judiciário e a sociedade”.

Ao chamar a atenção para o cenário contemporâneo, marcado por “assustadora violência doméstica e social”, a decana da Corte de Justiça Acreana deixou uma reflexão para os noivos e famílias presentes.

“Digo a todos que a nossa missão; a missão de cada um de nós diante dessa problemática é sermos semeadores de paz, plantadores de esperança. E a paz não começa em outro lugar senão dentro dos lares, nos seios das famílias. Cada casal aqui presente tem uma responsabilidade muito grande. E sabem qual é o papel de vocês? Antes de tudo, o respeito e o amor”, explicou.

O prefeito municipal parabenizou mais de uma vez ao TJAC pela ação social que, segundo ele, engrandece a cidade e valoriza o seu povo. “Há um tempo determinado para todas as coisas, e este é muito especial para todos nós, principalmente para os casais”, finalizou citando versículos bíblicos.

O juiz-celebrante Erik Farhat, que, além de salientar a questão da igualdade de direitos civis entre os cônjugues, ensinou os caminhos para o bom casamento.

“É preciso comunhão, tolerância e solidariedade familiar, além do amor e respeito, estes últimos tão bem assinalados pela desembargadora Eva”, frisou.

O casal mais novo foi formado por Orleilson Muniz da Silva, de 19 anos, e Nilcilândia Lemos de Souza, de apenas 16.

Já o casal mais experiente foi composto por João Pereira da Silva, que completa 89 anos nesta semana, e Maria do Carmo Rodrigues da Silva. Juntos há pelo menos 20 anos, ambos eram viúvos quando se conheceram, têm uma filha, mas nunca haviam se casado.

“Agora é pra valer, me sinto realizada. É o melhor pra nós”, resumiu emocionada a dona Maria.

Eles e outros 650 casais disseram o aguardado SIM coletivo, acompanhado de abraços sinceros, beijos afetivos, mãos entrelaças pelas alianças, e muitas fotos, inclusive selfies, que registraram na memória e história o momento marcante.

Outras atrações

Atrações não faltaram no Casamento Coletivo, que enalteceu o aniversário de 113 anos de Cruzeiro do Sul.

A apresentação da cantora Daíris Costa, regente do Coral do Conservatório Musical (fruto da parceria Judiciário e MPAC); e da Banda de Música do Exército (61º BIS) embalaram com musicalidade o coração dos novos casais.

Eles ainda tiveram direito à decoração feita no capricho, stands para fotografias, sorteio de diversos brindes e, claro, a certidão de casamento de forma gratuita.

O Casamento Coletivo integra as atividades do Projeto Cidadão e, nessa edição, teve as parcerias da Prefeitura Municipal de Cruzeiro do Sul, do Exército Brasileiro, do Cartório de Pessoas Naturais, da Coordenação do Ginásio Esportivo Jader Machado, e dos servidores que atuam na Cidade da Justiça local.

É possível acessar o álbum com todas as fotos do evento por meio da ferramenta Flickr (veja aqui).

Postado em: Notícias | Tags:,

Fonte: Publicado em 02/10/2017