Depois do CIC e Comarca em Epitaciolândia, TJ anuncia restauração do Palácio da

Uma semana depois de instalar a Comarca de Epitaciolândia e inaugurar o Centro Integrado de Cidadania (CIC) no mesmo município, o presidente do Tribunal de Justiça, Ciro Facundo de Almeida, anunciou ontem que até o final da próxima semana começa as obras de reforma e restauração do Palácio da Justiça, sede do Poder Judiciário acreano. “Vamos transformar o local, ao lado do Palácio Rio Branco, num dos mais bonitos cartões de visitas de Rio Branco”. A obra, com todos os móveis, está orçada em R$ 1,1 milhão. Ontem, mesmo uma semana depois da festa que reuniu em Epitaciolândia autoridades brasileiras e bolivianas, Facundo não escondia a emoção pelas homenagens recebidas de magistrados e do prefeito de Epitaciolândia, Tião Flores. A primeira homenagem a Ciro Facundo foi feita pela juíza de Brasiléia, Rogéria Epaminondas, que entregou ao desembargador um quadro com uma fotografia dele e uma frase de Fernando Pessoa. Em seguida, o presidente do TJ recebeu uma placa oferecida pelo também juiz de Brasiléia Fernando Nóbrega da Silva. E por último, o prefeito Tião Flores passou a Ciro Facundo a portaria da Prefeitura local com elogios ao Poder Judiciário pelas obras entregues em Epitaciolândia. O prefeito lembrou que era “o mínimo que nós, Prefeitura e população podemos fazer pelo desembargador Ciro Facundo e o Poder Judiciário como um todo. Nosso município agora tem a justiça de fato e de direito. Acabou o sofrimento das nossas famílias, que quando precisavam do Poder Judiciário tinham de correr a Brasiléia. Agora nós podemos nos orgulhar de termos a nossa comarca, nosso fórum e nosso juiz de Direito”. O juiz de Epitaciolândia é Audarzean Santana da Silva. Ciro Facundo lembrou que há 12 anos, quando era juiz de Direito, foi o responsável pelo processo sobre o plebiscito que levou Epitaciolândia a município. “E agora tive a felicidade de estar instalando a Comarca da cidade e entregando o centro de cidadania para a população”. O prédio que reúne o CIC e o Fórum tem 1.131,19m2 de área construída. No local funciona um tribunal do júri com capacidade para 60 lugares, sala de audiência, balcão para expedição de documentos, varas cível e criminal, gabinetes de juiz, defensor e promotor, cartórios, Juizado Cível separado do Juizado Criminal, salas de reclamação, de conciliação e de advogados, cozinha, área de serviço, além de um arquivo morto, sala de arma, uma cela, banheiros, amplo estacionamento e guarita. A obra custou cerca de R$ 990 mil. O prédio está todo equipado com móveis, central telefônica e ares-condicionados, além de totalmente informatizado com os computadores ligados em rede.

Postado em: Notícias | Tags: Sem tags

Fonte: Publicado em 23/11/2004