Presidente do TJAC participa de encontro virtual do Conselho de Tribunais de Justiça 

Reunião foi marcada pela análise da crise cibernética gerenciada pelo Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJRS), durante a madrugada do último dia 28 de abril 

O encontro dos presidentes do Conselho de Tribunais de Justiça, ocorrido por videoconferência, na tarde desta sexta-feira, 21, foi marcado pelo tema crises cibernéticas, com a exposição do recente ataque cibernético aos servidores do Poder Judiciário do Estado do Rio Grande do Sul.

A presidente do TJAC, desembargadora Waldirene Cordeiro, participou do encontro por videoconferência, no qual foi possível a troca de experiências entre os Tribunais. O juiz-auxiliar da Presidência, Leandro Gross, também esteve presente.

 

Antônio Braz, da Diretoria de Tecnologia e Comunicação (DITIC) do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJRS), realizou uma exposição sobre como se deu o ataque por ransonware aos servidores da Justiça gaúcha e das ações empreendidas pela equipe de segurança de rede para manter a integridade dos mais de 200 sistemas utilizados pelo TJRS, durante a madrugada do último dia 28 de abril.

“Acredito que fomos bem sucedidos, pois nenhum sistema foi atingido. O início se deu a partir de uma senha conseguida pelo criminoso, ou seja, como na maior parte de ataques desse tipo, foi a partir de um erro humano (fenômeno conhecido como engenharia social). Nós agimos rápido, fechamos o acesso externo, tiramos o site do ar, cortamos acessos de outros países (…) aplicamos passos que estão no protocolo para crises cibernéticas (estabelecido pelo CNJ) e geramos relatório para o Conselho Nacional de Justiça e as autoridades policiais”, disse.

O coordenador do Comitê de Segurança Cibernética do Poder Judiciário, o juiz-auxiliar da presidência do CNJ, Alexandre Abreu, falou sobre as medidas adotadas pelo órgão gestor da Justiça brasileira, ao criar protocolo inicial e estabelecer resolução que determina aos Tribunais que criem seus próprios Comitês, para estabelecimento dos protocolos de gerenciamento de crises cibernéticas. Alexandre Abreu também destacou o grau de maturidade do TJRS, que é considerado um Tribunal de grande porte, para contenção da crise.

Durante o encontro virtual também foi definida a criação do Comitê Permanente de Segurança Cibernética do Conselho de Tribunais de Justiça,  que irá promover reuniões  periódicas a respeito do tema, mantendo interlocução permanente com o CNJ.

Assessoria | Comunicação TJAC